Os incisivos inferiores de leite (os dentinhos da frente, do lado de baixo!) são os primeiros dentes a ficar mole. O dente permanente, que ainda está se formando, vai absorvendo a sua raiz. E então, pelo fato de não ter mais a raiz que o sustentava e o fixava ao osso, fica bambo e cai. E então dá lugar ao dente definitivo.

Isso se dá por volta dos 5 ou 6 anos. E é uma história que se repete vinte vezes, pois é este o número de dentes de leite. Até os 12 anos, a maioria das crianças já está sem os dentinhos de leite.

E como lidar com o dente mole

Algumas pessoas têm verdadeira aflição de ver o dente balançando. Mas as crianças, em geral, têm uma alegria imensa com esta descoberta. E o importante é conservar esta alegria e prazer, parabenizando-a, pois está crescendo. E incentivando-a a balançar o dentinho, o que geralmente já fazem naturalmente.

Quando o dente cair é hora de festejar e de manter a calma. Se sair um pouco de sangue é só estancar com uma gaze ou pano limpo por uns minutos. E agora… Viva a janelinha!

Mas o que fazer com o dente? E a fada dos dentes? Cabe à família decidir como vai trabalhar com estas questões.

Meu primeiro filho, Gabriel, tirou o primeiro dente comendo uma pizza. Parou, colocou o dente de lado e continuou comendo a pizza, sem ligar para a vermelhidão surgindo. E até o último dente dele foi assim, sem stress e sem fada. Já a Camila, assim que caiu o primeiro dente já o colocou debaixo do travesseiro e me pediu para não tirar, pois a colega contou para ela que a fada viria à noite e colocaria um real. E assim foi com ela por um bom tempo. Joana e Antônio curtiam mesmo era pegar um álbum de dente que comprei em um congresso e encaixar o dentinho dentro dele.

Uma ideia clássica e bem legal é a de fazer um pingente para brinco ou colar.

E você? Tem uma história de dente mole para nos contar?