Ainda não sou mamãe, mas tenho a grande felicidade de ser titia. Mesmo na correria do dia a dia, através de mensagens e fotos, pude participar do primeiro dia de papinha da Carolina, minha sobrinha, e pensei em dividir com vocês o relato da minha irmã, Tuana, e meu cunhado, Leonardo, sobre este momento tão especial!
Mas, antes, precisamos conhecer um pouco da história da Carol: no dia 28/11, ainda por completar 7 meses, recebemos um telefonema às 6h da manhã, ela queria chegar, foi um misto de felicidade e tensão. Minha irmã, mesmo cuidando da alimentação durante a gravidez, não escapou da Síndrome de Hellp. Carolina, bem pequenininha, veio ao nosso encontro direto para UTI neonatal, nasceu com 1.200 kg e 39 cm, e a cada dia, durante um mês, ela nos surpreendia com sua evolução e hoje está ainda mais linda e esperta doque poderíamos imaginar. Costumo dizer “ aos olhos do PAI, ela é uma obra prima, que Deus planejou…”. Tuana me surpreende a cada dia em seu papel de mãe, quem a vê não imagina que seria tão habilidosa e paciente, e Leonardo, que sempre falava que não tinha jeito com crianças, virou um perfeito expert e foi quem revelou a receita da primeira papinha, isto mesmo, ele que prepara e considera um prazer indescritível!
Na pracinha: A introdução da papinha foi após a liberação do pediatra ou uma decisão dos pais devido a idade?
A introdução foi por orientação do médico, mas já havíamos percebido uma diminuição na aceitação do leite. A Carol tomava fórmula láctea, pois amamentei pouco. No dia 05/07 ela experimentou sua primeira papinha.
Na pracinha: Quais as principais orientações recebidas pelo pediatra?
Começar com uma papinha no almoço por dia, nos primeiros 15 dias. Após adaptação, acrescentar o jantar. Evitar alimentos como clara de ovo, derivados do trigo, carnes de peixe e de porco. Ele liberou só as papinhas salgadas, as frutas ainda não.
Na pracinha: Quem preparou a papinha? Quais foram os cuidados tomados na elaboração?
A papinha foi preparada pelo pai, e oferecido um pontinho com uma média de 180ml. Tomamos os cuidados básicos de higiene e após o preparo, deixar esfriar (dica: fazer um banho maria gelado é a solução mais eficiente, para que quando congelado não forme os cristais de gelo dentro dos recipientes). Sabemos que o ideal é não congelar e oferecer as papinhas frescas todos os dias. No entanto, em função do tempo e do fato da mãe não cozinhar, optamos pela praticidade de já deixar algumas porções prontas. Tomamos o cuidado de esterilizar todos os potinhos nos quais a papinha foi armazenada. Na geladeira, com recipiente bem vedado, acreditamos que dure até dois dias. No freezer cerca de 30 dias, com temperatura de -17º.
Na pracinha: Como e onde foi à primeira refeição? E os demais dias?
A primeira refeição foi em casa, com a presença dos pais e de uma tia. Aceitou bem a comida, respondendo a todos os estímulos esperados durante a alimentação. O segundo dia foi bem parecido com primeiro, sendo que no final apresentava sinal de sono. A refeição durou mais ou menos uns 40 minutos e ela comeu em média uns 150 a 140 ml.
Na pracinha: Qual a receita preparada por vocês?
Buscamos colocar poucos ingredientes para facilitar que ela identifique os gostos. Sempre incluimos cebola, alho poró, azeite e sal. As variações serão nos grupos e cada dia faremos uma receita diferente. Separamos por proteínas, legumes, verduras e tubérculos. Assim, buscamos utilizar um carboidrato, ou no máximo dois em porções divididas, 3 porções de verduras e legumes, e uma de proteína. Embora o pediatra não tenha feito restrições, ainda não introduzimos os grãos. Sempre pretendemos utilizar uma verdura na receita: espinafre, acelga, couve e etc…Usamos uma erva para temperar também! Com essa divisão acreditamos que ela possa experimentar de tudo um pouco, sem causar muita mistura de sabores, já que ela ainda não tem referência de paladar.
RECEITA
50g de músculo
90g de cenoura
100g de batata baroa
70g de couve-flor
100g de Abóbora japonesa
20g de cebola
20g de alho poro
1 colher (sopa) de salsinha
Sal a gosto
Tempere a carne vermelha ou de frango com 01 dente de alho pequeno e um pouco de sal. Doure a carne levemente em azeite. Junte todos os ingredientes (exceto a salsinha que será colocada no final do cozimento) e coloque água filtrada. Deixe cozinhar bem. Após estarem bem cozidos separe o músculo, pique na ponta da faca ou desfie bem pequeno e reserve. Amasse com um garfo os outros ingredientes até a consistência desejada para a papinha, acrescente o músculo e misture a salsinha. A consistência da papinha, se terá pedaços ou não, vai depender da fase do bebê. Como foi a primeira papinha da Carolina optamos por deixar a consistência mais homogênea.