Atualmente temos visto alguns profissionais que atuam na área da Educação defenderem a “Consciência fonológica”. Mais do que um termo estranho consciência fonológica é a capacidade de perceber que as palavras são constituídas por sons e saber manuseá-los. Essa percepção é extremamente importante no processo de aprendizagem da leitura/escrita.

Ao mesmo tempo em que a criança deve ser capaz de perceber que cada som corresponde a uma letra, deve, também, perceber que os sons presentes na fala (chamados fonemas) e os sons representados pela escrita (chamados grafemas) obedecem uma certa sequência. Se alterarmos a ordem teremos uma palavra diferente ou uma palavra que não existe no português.

As brincadeiras de crianças são o melhor método de aprendizagem. Elas observam o funcionamento das coisas, testam hipóteses e reforçam o aprendizado. Vejamos o que acontece quando permitimos que as crianças brinquem:

:: Brincar com bonecos (para meninos e meninas):

Para ser possível essa brincadeira é preciso ter o que dizer. Então, o pré requisito básico é experiência de vida. A criança sempre irá reproduzir aquilo que se passa com ela. O trauma com a vacina/injeção, uma visita ao médico, a bronca da professora, a briga da mãe por causa do almoço demorado, o ciúme em relação a um irmão mais velho… Ela vai repetir situações agradáveis e desagradáveis. Nesse momento as crianças estarão narrando os fatos e é importante que o adulto auxilie na organização dos
fatos e ofereça palavras que são desconhecidas dos pequenos sempre falando corretamente.

:: Brincando com as palavras:
É importante proporcionar às crianças a compreensão de que é possível brincar com as palavras. Ensiná-las pequenas rimas, ler poemas, falar palavras de trás pra frente ou inverter a ordem de sílabas podem ser atividades educativas, mas bastante divertidas para os pequenos. O quadro
abaixo ilustra algumas situações.