O post “Paizão Na pracinha” de hoje foi escrito pelo André, pai do João Pedro e da Maria Clara, que está começando essa semana uma jornada de um ano fora do Brasil com toda a família. Mais um trabalho para um super-pai:

Raulzito me desculpe o plágio mas:

“Minha esposa tem mania de artista,
Inventa férias crente que é uma trapezista.
E eu não vou dizer que também seja perfeito,
Meu pai me ensinou a fazer tudo direito”

Este post faz parte da série escrita 
exclusivamente por papais, uma 
homenagem a todos os super- 
heróis da criançada

E nessa vamos nós com malas, corre-corre e tentando manter o exemplo para a filharada. O complicado é ter paciência nos momentos mais delicados e chegar sempre com um sorriso no rosto, pois querendo ou não, nossos pequeninos estão nos olhando o tempo inteiro.


Êita, não é fácil, mas não tem preço… Além de tudo, considerando as palavras do escritor José Saramago que assim define os filhos:

“Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo ! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo”.

Lembrando que nossos filhos nos vêem incondicionalmente como seus protetores e das esposas! Já deixamos de ser os provedores da família hoje mas continuamos sendo quem abre a tampa emperrada, protege do perigo (por mais que seja uma barata) e serve de porto seguro.

Parabéns a todos os pais que acreditam que ser pai é um desafio constante, mais que somente uma posição!