Há duas semanas, em uma sexta, após sua soneca, pego Dona Cecília com mais da metade do corpinho para fora do berço, como se estivesse saltando. Ela aproveitou o protetor para ficar ainda mais alta e impulsionar o corpo. Que susto! Já ouvi cada história de criança que cai do berço e vários problemas (será que tudo é verdade?)…Eu já a havia flagrado tentando escalar a grade, subindo no protetor, se impulsionando… Enfim, era o incentivo que precisávamos para mudá-la do berço para a cama. Já havia observado que a situação demandava atenção, uma vez que não pude tirar o protetor, mesmo com toda recomendação, pois Ciça é muita agitada durante o sono (noturno) e já a ouvi diversas vezes batendo em todas as laterais do espaço, haja coco!

No sábado, mudamos o berço para a cama (o modelo se adapta para uma minicama), compramos uma grade protetora e definitivamente ela deixou de ser a minha bebê. O mais incrível é que ela está super curtindo a cama, toda hora brinca por lá, quando tem gente nova em casa quer que a pessoa conheça, uma festa!

De acordo com os pediatras, não há uma idade certa para a transição, o importante é observar se o berço ainda é um espaço seguro para a criança. Geralmente, a partir dos 2 anos, os pequenos ficam mais curiosos e propensos a aventuras. Além disso, muitas vezes a criança não cabe mais no berço ou um irmãzinho está chegando. Se não tem motivo para fazer a transição, pode esperar até por volta dos 3 anos, pois muitas vezes a criança não está pronta e pode estranhar. É muito importante observar o comportamento da criança e não tomar uma decisão precipitada.

Então, fique de olho:

:: Se a criança já demonstra interesse em escalar as grades, apoiar-se em cobertores ou protetores;
:: Se a criança já levanta a perna tentando alcançar o outro lado;
:: Se um bebê estiver a caminho, faça a transição antes de sua chegada (com dois ou três meses de antecedência), desta forma, a criança não pensa que está perdendo seu espaço.
:: Sobre o berço-cama: observe se ao se transformar em cama, ele não fica muito alto e a criança não consegue subir e descer sozinha!
:: Providencie grades laterais protetoras, muitos acompanham os berços-cama ou as minicamas, mas se não for o caso, você encontra vários modelos no mercado.
:: Se a criança não dormir bem depois da transição, possivelmente ela não estava preparada. E aí vale a pena voltar para o berço e esperar mais um pouco.


E olha a pequena curtindo o antes e o depois da soneca!

A primeira noite foi super tranquila, me preparei para me deparar com uma pequenininha me cutucando durante a madrugada, mas a danada dormiu a noite toda! Quando acordou, desceu da cama e foi nos chamar, fofo! No decorrer dessas duas últimas semanas, quando ela acordou durante a madrugada nos chamou, mas não desceu sozinha. De qualquer forma, sempre fazemos uma vistoria por todo o apartamento preparando-o caso ela resolva se levantar à noite, afinal, ninguém segura essa menina!