Já conversamos sobre a escolha do berçário, hoje falaremos sobre a primeira escola. A Ciça está com quase dois anos e numa fase em que precisa de estímulos. Ela convive com outras crianças, o que já é bem legal, mas somente eu, o papai e os avós não conseguimos promover todas as possibilidades para o seu desenvolvimento motor, psíquico, social, cultural etc… Então, recorreremos à escola no próximo ano. Com a decisão, começou o processo seletivo pela melhor escola. Afinal, existe escola ideal?
Confesso que mesmo trabalhando com Educação, também tive dificuldades para avaliar tantas características: projeto pedagógico, tamanho, inclusão, perfil dos alunos, localização, atividades extracurriculares, cardápio, horário, ufa!

Considerei muito pertinente uma colocação que encontrei em uma matéria da Revista Crescer sobre a escolha das escolas: “‘Claro que é preciso gostar de criança para trabalhar em escola, mas o profissional precisa gostar é de educação’, diz o educador Marcelo, da Estilo de Aprender. Na escola não há criança, há aluno. ‘Lá, ela interage de modo diferente do que na praia, no clube’, afirma o educador. Ele é quem substituirá, por horas, os pais como modelo de adulto e o que ele disser vira ‘lei’. ‘É uma relação direta. O que a professora disser ser legal, bonito, gostoso, a criança vai gostar. Principalmente na educação infantil, valor e conteúdo estão juntos. Se você dá valor ao livro e vê o professor passando em frente a uma livraria sem olhar para ela, é esse o recado que ele vai passar. Da mesma forma, se os pais não são letrados e a criança ama poesia, pode apostar: a professora tem livros ao redor dela’, diz o filósofo Ghiraldelli Jr.”Ainda hoje vejo pessoas que argumentam que se “fulano” gosta de criança deveria ser professor, mas essas mesmas pessoas se esquecem da importância da formação desse profissional, como ele deve respeitar a educação, a cultura e os valores familiares.

 

 

No processo seletivo (rs) para a escola da pequena, me baseei na facilidade da logística (localização e horário), projeto pedagógico e por indicação. A partir daí, visitei as opções para chegar a uma conclusão. Observações que pontuei durante a avaliação:

 

:: Como é o projeto pedagógico da escola (algumas focam no ensino, no resultado para a universidade, outras nas artes, no esporte. É importante também entender sobre linhas pedagógicas)? Existem atividades complementares, quais são? Para mim, é fundamental o incentivo às artes e à criatividade.:: Como funciona a questão da segurança (isso é fundamental)? Câmera nas salas para mim não é essencial, mas é necessário ter medidas restritivas.

:: O acesso dos pais é livre?

:: Levei a Ciça e observei sua interação com o ambiente, se ela gostou, se sentiu confortável, como a trataram

:: Alimentação: as crianças compartilham ou cada um come só o seu? Respeitam o cardápio mais saudável ou aceitam guloseimas?

:: As crianças que estudam lá estão felizes? Lembro-me da minha amiga Kaori me dando essa dica, veja se as crianças estão sorrindo, se divertindo, se elas expressam gostarem do ambiente.

:: A escola respeita o tempo da criança? Por exemplo, Ciça ainda usa fralda, toma mamadeira e gosta da chupeta na hora de dormir, procurei uma escola que respeitasse esse momento e junto com os pais iniciasse o processo de mudança. Visitei uma escola em que enfaticamente disseram que a chupeta e a mamadeira não entrariam, imaginei a pequena com tanta mudança de uma vez, tadinha…

:: E a inclusão, como é trabalhada? Para mim é fundamental, sempre convivi com portadores de necessidades especiais, tenho cinco tios deficientes visuais, sempre trabalhei com projetos sociais que exploram a questão, mas sei de pais que não querem seus filhos convivendo com crianças que precisam de mais cuidados (pode isso, gente?)

:: O espaço é educativo? É visível o incentivo à aprendizagem?

:: Como é o espaço físico (visitei uma escola em que as paredes eram divisórias e não havia janelas nas salas, pode?)? Tem espaço para brincar em dia de sol e de chuva?

:: Os valores são coerentes com os da sua família?

:: Como são os eventos sociais: aniversários, festa junina, natal, dias especiais?

A escola que escolhemos já é integrada a um colégio, os espaços são distintos, optei por algumas conveniências e por ser uma escola reconhecida pela qualidade do ensino. Além disto, gostei do projeto pedagógico, dos valores e por já ter membros da família que estudam por lá. Como o assunto é complexo, teremos um post com a opinião de uma pedagoga e também um resumão das informações do Ministério da Educação. Espero que assim, o Na pracinha consiga ajudá-lo(a) no seu processo seletivo!

Importante:: deve haver um processo de adaptação, com um aumento gradual do tempo de permanência da criança na escola, e os pais devem participar do processo.

:: procure informações sobre a Escola no Sinpro/MG (Sindicato dos Professores de Minas Gerais) e no site do INEP.
O check list da Revista Crescer pode te ajudar, confira!