Na última postagem, em referência à pergunta de uma de nossas leitoras, argumentamos sobre o selante. Vamos falar hoje sobre o flúor: capa protetora do dente.
E continua a busca de levarmos os nossos filhos a terem dentes saudáveis.

O flúor age a nosso favor, sim: quando no contato com o dente e com a saliva, com os quais faz trocas químicas. Todas as vezes que comemos açúcar (sacarose, no caso) e que a acidez na boca aumenta, o dente perde cálcio microscopicamente. Após certo intervalo de tempo, pelo efeito tampão da saliva, este cálcio é devolvido ao esmalte. E assim é mantido o equilíbrio. Se os ataques ácidos são frequentes, o dente fica mais susceptível à cárie. Mas a presença do flúor faz com que o cálcio só seja perdido se a acidez for ainda maior. Desta forma a ocorrência da cárie torna-se menos provável. Este resultado se consegue de forma efetiva com o uso da pasta de dente com 1000 ppm de flúor ou mais, pela ação da água fluoretada e com as aplicações periódicas do flúor pelo dentista.

Portanto, o flúor age como se fosse uma capa protetora do dente.

Mas vale lembrar o “RAP” dos Dentinhos:

E a pasta toda é pra cuspir
Que ela é boa, mas não é pra engolir.

E é por aí que iremos percorrer o próximo assunto: pasta sem flúor para quê?