Que a gente adora passear com as crianças Nas pracinhas da cidade, todo mundo já sabe. Seja no carrinho, no sling, ou correndo atrás dos pequenos quando eles já se aventuram por aí! Brincar ao ar livre é recomendado pelos pediatras desde o primeiro mês do nascimento (lembra dos banhos de sol?), e à medida que a criança vai crescendo, aumenta-se o tempo de exposição permitido. Aí a diversão começa…

Andar descalço pela grama, curtir o play, brincar de pega pega, pique esconde, areia, uma infinidade de opções! Uma brincadeira que agrada a criançada independente da idade são as bolhinhas de sabão. Não tem criança – e nem adulto! – que resista ao fascínio que desperta essa mistura de água e sabão voando pelo ar.

A brincadeira das bolhinhas já existe antes mesmo da nossa infância e desde sempre arranca sorrisos das crianças, que saem correndo para estourá-las com as mãos, ou criam competições de quem consegue soprar a maior bolha.
Com a Sara e a Ciça não é diferente e sempre temos em mãos um frasquinho para elas se divertirem nas pracinhas. Quando eu era pequena me lembro de aprender a fazer minha própria mistura e soprar com canudinho de refrigerante. Hoje, usamos o mesmo frasquinho várias vezes, só reabastecemos em casa com mais água e detergente. 
E a diversão é garantida:

Sara e Ciça super interessadas nas bolhinhas da Lelê – Praça do Papa

Mamães ensinando a Ciça a criar suas próprias bolhinhas – Praça Dino Barbieri, Pampulha
Ciça criando suas próprias bolhinhas – Casa do Baile, Pampulha

Sarinha encantada com as bolhas – Casa do Baile, Pampulha

“O brincar é a linguagem da criança, é ali que tudo no mundo dela acontece. Quando uma criança está brincando, ela não está somente brincando, ela está se desenvolvendo física e emocionalmente. Ao convidar o adulto para a brincadeira, ela o faz por ser significativo para ela. Por isso, para a criança, quando você aceita o convite e brinca junto é uma alegria, além de ser importante e significativo.
Experimente parar uns minutinhos, desligar-se do mundo real e permitir-se voltar a ser criança. “

Esse post faz parte da Blogagem coletiva “Compartilhe brincadeiras”