Ao fazer a papinha do bebê adequadamente, podemos conservar e reaproveitar as sobras limpas seguindo algumas dicas de segurança alimentar:


:: A papinha pode ser colocada em recipiente próprio, com tampa e deixada em geladeira. Essa papinha pode ser reaproveitada no mesmo dia, desde que, ao servir novamente para o bebê, ela seja bem reaquecida (a temperatura ideal é de 74 graus). Deixe esfriar um pouco e ofereça.

:: A papinha também pode ser congelada, em recipiente próprio e com tampa. Nesse caso, deve ser identificada: coloque os ingredientes e também o dia do preparo para evitar ultrapassar a data de validade.

:: É importante congelar apenas a papinha que ainda não foi para o prato do bebê (chamamos de sobra limpa), pois os alimentos que tiveram contato com a saliva são mais susceptíveis à contaminação.

:: Ao preparar a papinha do bebê, espere atingir a temperatura ideal de segurança para desligar o cozimento. Para congelar, coloque em recipientes pequenos (de vidro ou plástico) e leve ao freezer.

:: O descongelamento pode ser em microondas, banho maria ou mesmo numa panelinha – levar à mesma temperatura de segurança (74 graus).

:: O descongelamento pode ser feito também retirando a papinha um dia antes e colocando na geladeira. Na hora de servir, aqueça na temperatura ideal.

:: Após o descongelamento a papinha não pode ser congelada novamente. Por isso, é importante congelar em recipientes pequenos, assim só haverá necessidade de descongelar a quantidade que o bebê irá comer.

:: A validade do congelamento vai depender da temperatura do freezer ou congelador. No freezer geralmente a temperatura é de 18 graus negativos. Nessa temperatura, a papinha pode permanecer por três meses. No congelador, onde a temperatura é em média 12 graus negativos, a papinha tem a validade de um mês.

Seguindo esses passos no preparo da papinha, você vai garantir a segurança, ou seja, o alimento vai ser sempre fonte de saúde evitando uma contaminação alimentar.