Finalmente chegou o dia em que a minha pequena foi para a escola, aos 2 anos e 3 meses. E cá estamos nós, filha e pais, se adaptando a esta novidade. Para a criança, é uma nova rotina, em um espaço desconhecido e diferente com outras crianças. E para nós, os pais, um período de ansiedade e medo (por que não?) diante da expectativa da criança. Como agir diante de um choro, de um pedido de recusa para não ir com a professora ou ficar no espaço, ou então, um tchau/até breve adorando a novidade? Sim, nós pais, também sofremos se eles sofrem e também sentimos um certo “abandono”quando eles se adaptam rapidamente…E a culpa (quem nunca?)?

O período de adaptação envolve não só o ingresso à escola pela primeira vez, mas a mudança de instituição ou até mesmo de etapa, como da Educação Infantil para a Fundamental. Irei relatar a experiência que vivencio hoje: o ingresso à escola pela primeira vez.

Crianças que irão frequentar o Maternal ainda são muito ligadas ao ambiente familiar e precisam fazer a transição para o ambiente escolar com o tempo. Muitos dizem que este período é menos difícil quando a criança já está no Berçário desde bebê (será?). O sucesso da adaptação depende de fatores como confiança, segurança, atenção e afeto. Estar tranquilo quanto à decisão e transmitir isto à criança é fundamental. O processo de adaptação começa ainda na escolha da escola. É necessário se envolver com a instituição, participar das reuniões e ter um canal de comunicação com os profissionais envolvidos na educação de seu filho. Também é fundamental explicar para a criança (por menor que ela seja) por que ela está indo para escola, comentar sobre a professora e os novos amigos.

O que me agradou bastante no período de adaptação da escola da Cecília foi o fato de terem planejado uma semana com horários diferenciados. Nos três primeiros dias, uma parte da turma ficou por duas horas e em seguida chegava a outra parte. No primeiro dia, nós, pais, acompanhamos de perto, ficamos em sala, fomos às atividades. Nos demais dias, até o final da semana, tivemos livre acesso à escola, ficando sempre no corredor e acompanhando de longe como as coisas estavam acontecendo. E quando havia um momento de estranhamento, incômodo, a professora não hesitava em levar a criança até nós, ou até sugerir de ir embora um pouco mais cedo. Na minha opinião foi menos estressante para todos.
As aulas começaram na primeira semana de fevereiro, antes do Carnaval, então, quando estávamos começando a entrar no ritmo, veio o feriado. Mas, para a minha surpresa, o retorno foi bem mais tranquilo do que eu esperava.

Um sorriso para registrar o primeiro dia de uniforme

E como está sendo a reação da pequena? No primeiro dia, ela estranhou, ficou agarrada a mim, mas logo se divertiu com os brinquedos. Nos segundo e terceiro dias, chorou quando a deixei junto com a professora, mas ficou as duas horas sem precisar me chamarem. E tem sido desta forma desde então, chora um pouquinho quando a deixamos, mas logo se distrai. Vez ou outra chora e é acalentada pela professora e a auxiliar. Ciça fala dos amiguinhos, da professora, da escola, o que demonstra para nós que ela está gostando. E já está cheia de novidades, palavras novas, músicas etc…

Compartilho com vocês algumas dicas que segui e foram de grande valia:

:: Converse com a criança sobre a escola, explique que ela irá encontrar novos amigos, ficará com a professora (sempre citar o nome), mas não fale em demasia para não gerar ansiedade.

:: Após o período de acompanhamento, é importante despedir de forma breve após entregar a criança para a professora, mas não saia sem se despedir, isto geralmente causa insegurança. É melhor deixá-la chorando mas sabendo que você voltará.

:: O choro é um recurso de comunicação da criança, e faz parte do processo. Às vezes pode ser manipulatório para que os pais não a deixem. Porém, muitas vezes, a criança logo se distrai. Se o choro permanecer, vale conversar com a professora, com a equipe pedagógica e psicóloga.

:: É importante também evitar que a criança falte muitos dias seguidos, principalmente, se a escola é um momento novo em sua vida para não atrapalhar o ritmo de adaptação.

:: A família deve se envolver na nova rotina. Lá em casa, compramos o material, escolhemos o uniforme, sempre com a Ciça acompanhando. Identificamos tudo e diariamente montamos a lancheira e a mochila juntas. Ela super curte: “mamãe fez o suco”, “biscoito para a Ciça lanchar”, “blusa da Ciça”e assim por diante…

:: Levar um elemento de transição, de suporte, de apoio à criança, seja uma naninha ou até a chupeta, também faz a diferença. Neste período, tenho mandado a chupeta para a pequena.

:: Acompanhe o comportamento da criança na ida, na chegada, na busca e volta para casa. Faça perguntas sobre como são os amigos, se a Escola é divertida, se ela gosta de brincar.