Seu filho tem entre 5 e 6 anos, aquela idade em que a criança começa a troca de dentes. Chega a hora de escovar! De repente, você vê um dente que não estava ali, parece que nasceu por dentro, perto da língua. Está por trás do incisivo inferior de leite (os dentinhos da frente, do lado de baixo), e sem nenhum dente cair. O que aconteceu? O que fazer?

Este fato é muito comum e às vezes pega os pais de surpresa. Mas não há motivo para correria e não devemos assustar a criança.

O incisivo permanente não veio na posição esperada (que seria bem abaixo do dentinho de leite) e, portanto, não absorveu a sua raiz. E, então, o incisivo permanente surgiu e o dente de leite ainda está firme. E dependendo, ainda com a raiz meio grande, o que dificultará que ele caia sem ter que passar por anestesia.

O odontopediatra deve ser procurado assim que possível para as cabíveis orientações. Na maioria das vezes você vai ouvir: espere o dente de leite cair naturalmente, vamos incentivar a criança a balançá-lo. E é mesmo o melhor conselho. Pois saiba que, assim que ele cair, a língua vai empurrar o dente permanente para o lugar. E se não houver espaço, o ortodontista fará a intervenção necessária. Mas tirar o dente de leite correndo não fará diferença para a posição do novo dente.

Tenha calma e passe a melhor impressão possível a respeito do acontecimento:

-Veja, meu filho: agora você tem um dente novo! Acho que podemos chamá-lo de dente surpresa, hein?

-Vamos balançar o dentinho de leite para o novo ocupar o seu lugar. E a língua vai empurrá-lo, sabia?

O primeiro dente precisa ser bem trabalhado. Dê preferência para que ele caia sem precisar da anestesia. E se for necessário o procedimento, que seja feito de forma planejada e com o profissional que seu filho já conhece. No total são 20 dentes de leite para cair. Nós adultos temos a responsabilidade de ajudar a criança a lidar bem com esta troca. E evitar extrações desnecessárias é primordial.