A publicidade infantil está presente diariamente na vida das crianças. Nem sempre ela é utilizada de forma idônea e isso pode influenciar na compra de todo tipo de produto, desde moda, utensílios, carros e também dos alimentos.

Em se tratando de alimentos, a publicidade pode interferir em nossa compra de diversas formas:

– associar o alimento a brinquedos;

– comercializar o alimento em formato infantil;

– associar o alimento a pessoas famosas;

– investir na embalagem do alimento

Então, se as pessoas não têm o hábito de observar o que estão comprando (não observarem o rótulo, por exemplo) e se normalmente os alimentos associados a esse tipo de propaganda são industrializados (e assim possuem excesso de calorias, sódio, gorduras, açúcares, aditivos, corantes e conservantes) pode haver um consumo excessivo de alimentos não balanceados, que podem resultar na obesidade infantil e do adolescente que encontramos hoje em dia.

A família, a escola e as indústrias devem contribuir para a saúde da população. O alimento deve ser fonte de prazer e de saúde e não algo que possa comprometer, mesmo no futuro, nossa disposição e trazer doenças. Antes de comprar um alimento, observe sua embalagem, seu rótulo e pense o que ele realmente representa para você e para sua família. Investigue o rótulo. Procure também sobre a quantidade de produtos químicos utilizados. Não deixe se levar pela manipulação da má propaganda e prestigie aquelas empresas que optam pela propaganda verdadeira.

Para quem ainda não viu, vale a pena assistir ao documentário Muito Além do Peso, que fala muito bem desse assunto.