A história é assim: somente a manteiga existia e ela, além de ser utilizada no pão, também era utilizada frequentemente como ingrediente de diversas receitas como bolos, tortas e até mesmo para cozinhar.

Então “apareceu a margarina” no comércio que não possui gorduras saturadas, como a manteiga e assim dizia fazer bem ao coração. Mas com o tempo, descobriu-se que para substituir a gordura saturada colocaram gordura trans e que essa também é prejudicial ao coração. E em consequência disso foi criada a margarina sem gordura trans e outras margarinas com propósitos afins (com azeite, vitaminada, light etc).


A margarina com gordura trans nem é mais encontrada nos supermercados, ou seja, faz mal e não deve ser utilizada.

Quanto à manteiga e margarina sem gordura trans, em termos de calorias as duas praticamente se equivalem, sendo bem calóricas. A manteiga, por ser um produto de origem animal, pode conter colesterol e gorduras saturadas. A margarina não possui colesterol e possui menor teor de saturadas. A manteiga possui vitamina A. As duas possuem conservantes, sendo que a margarina tem maior teor desses.

Concluindo: tanto a margarina quanto a manteiga não são alimentos considerados saudáveis (excesso de gorduras, calorias, sódio e ainda possuem conservantes), mas fazem parte de nosso costume alimentar. Por isso devem ser usados com moderação e evitados no preparo das refeições (preferir os óleos). O importante é observar a quantidade, já que as duas opções possuem contras: independente de qual a família escolher utilize o mínimo necessário.