Nas férias de julho, decidimos fazer um passeio um pouco mais distante de carro, para Goiás. Seriam nove horas de viagem até o nosso destino. Preferi não arriscar ficar tanto tempo na estrada com a filhota e, como tínhamos tempo, optamos por “quebrar” a viagem. Foi uma estratégia que funcionou bem para fazer com que o passeio fosse menos traumático, já que os pequenos geralmente ficam entediados durante tantas horas dentro do carro.

Então reservamos a parada na terra da Dona Beja, Araxá. Não podíamos ter feito escolha melhor. Araxá é uma cidade acolhedora e, mesmo passando apenas um dia na ida e outro dia na volta, fizemos um passeio super agradável por lá.

Chegamos na cidade por volta de meio dia e a ideia era almoçar no Grande Hotel. O complexo foi inaugurado em 1944 (levou seis anos para ser concluído). Os jardins e todo o projeto paisagístico foram criados pelo famoso pintor e paisagista Roberto Burle Marx.  Com arquitetura imponente, a decoração imperial é puro glamour :) Em 2010, o Grande Hotel passou a fazer parte da Rede Tauá de Hotéis.

Não sei se foi bom ou ruim, mas o almoço, para quem não é hóspede, saiu R$ 54,00 por cabeça. Criança não paga – ainda bem, porque a Sara não comeu nada. Achei carésimo, o menu não tinha nada de mais. Mas como já estávamos lá, enfiamos o pé na jaca de uma vez.

Almoço finalizado, curtimos os arredores do Grande Hotel ao ar livre, que é o diferencial para se passear com criança. Existe uma área enorme com diversos atrativos.

Conhecemos algumas pessoas no passeio que são moradores de Araxá e têm no Grande Hotel uma opção de lazer para os finais de semana. Tem parquinho de madeira super gostoso, onde a Sara se divertiu muito. Existe a opção de fazer passeio a cavalo, em charrete. Há também grandes bicicletas articuladas para várias pessoas pedalarem juntas. Arco e flecha também, para os mais ousados. Uma delícia!

Também visitamos a Fonte Dona Beja, onde bebemos a água radioativa que jorra de uma gruta. Dizem que suas propriedades “ativam o metabolismo e estimulam a assimilação diurética, atuando como desintoxicante do organismo e agente hipotensivo” (uau!). Acima da gruta, há uma grande pintura em azulejo da Dona Beja banhando-se nas águas.

Já programamos voltar para passar mais dias na cidade. Ficamos devendo conhecer o Termas de Araxá, que fica dentro do Grande Hotel e é famoso por seus banhos terapêuticos (tem até um banho especial para crianças – legal, né?). Araxá também tem outros pontos turísticos especiais, como o Museu Calmon Barreto, Museu Histórico de Araxá, onde encontraremos a história de Dona Beja e o Mirante Parque do Cristo. Fica a dica ;)

Parquinho de madeira ao redor do Grande Hotel
Clima de fazendinha :)

Do outro lado do Grande Hotel, parada para apreciar a vista no meio da caminhada
  
O caminho é repleto de lugares aconchegantes para contemplação
A casa que abriga a Fonte Dona Beja

Tirem as crianças da frente do monitor! Dona Beja peladona em painel sobre a fonte das águas radioativas

Ficando radioativos…

Vamos ficar mais, vai?
Quer conhecer mais sobre Araxá?
Veja aqui: www.araxa.mg.gov.br