Para os pais que optaram a oferecer leite na mamadeira para sua criança sempre vem aquela dúvida: preciso acrescentar algo mais?  É nesse “algo mais” que normalmente entram os farináceos, que são vendidos com os nomes de Mucilon, Sustagen, Maisena, Neston, Cremosina e suas variações.

Se observarmos os rótulos desses produtos, em sua grande maioria, são compostos de muito carboidrato simples. Esse tipo de carboidrato não é favorável em nossa alimentação e pode ser comparado ao açúcar, possui energia em excesso (muito calóricos) e superestimulam o funcionamento do pâncreas (em longo prazo é um dos fatores do diabetes).

Se a criança tem uma alimentação nutritiva, seu peso está dentro da faixa esperada para idade e para a altura não há necessidade de inserirmos esses produtos, que são recomendados apenas para crianças inapetentes por alguma patologia ou crianças desnutridas. Os farináceos também podem propagar alergias alimentares se forem oferecidos precocemente.

E a promessa de auxiliar no funcionamento intestinal? Apenas os cereais integrais têm esse efeito (pois somente eles possuem fibras), mas se seu filho tem o intestino preso a melhor opção é oferecer frutas e vegetais, muita água e uma vez ao dia a aveia. Para as crianças maiores, acrescente também o farelo de trigo. Todos na medida de uma colher de chá. Diminua no dia a dia o excesso de farinhas e evite alimentos que prendam o intestino.

Não há necessidade de “engrossar”a mamadeira.
 Os farináceos são totalmente dispensáveis na alimentação da criança. Tanto na mamadeira quanto no prato. O leite pode ser oferecido puro, com frutas batidas ou mesmo com chás (erva cidreira, camomila, erva doce, hortelã, maçã).

Dica nova!
Para oferecer leite com chá: esquente o leite e coloque o saquinho ou folha dentro, não se esqueça de coar depois. Abafe por instantes e deixe esfriar na temperatura ideal. Pronto, delicioso e saudável!