A alimentação balanceada e saudável é aquela baseada em alimentos que atendem às necessidades do nosso organismo e deve conter diversos nutrientes: carboidratos, proteínas, lipídeos (gorduras), água, vitaminas, minerais e fibras.  É aquela refeição planejada com alimentos de todos os tipos, sem abusos e também sem exclusões, que contêm todos os nutrientes e é de procedência conhecida.

As carnes então complementam uma alimentação balanceada e podem ser oferecidas ao bebê logo após a fase de adaptação à alimentação complementar. Além de proteína de alto valor biológico, a carne, contém principalmente ferro, zinco e vitamina B12 que contribuem para o crescimento, formação das células do sangue, melhora no aprendizado (combate a anemia). Normalmente as mais utilizadas são a bovina, de frango e de peixe.

Preparo

O modo de preparo é importante para garantir a qualidade: inicialmente a carne deve ser sempre cozida, bem batidinha e depois progressivamente sendo desfiada e moída. Quando a criança estiver na faixa etária de 1 ano a 1 ano e 6 meses, estará apta a comer os mesmos alimentos que sua família. O modo de preparo, assim, pode ser mais variado (ela já possui coordenação motora na mastigação e também alguns dentes para auxiliá-la): grelhado (no grill, frigideira antiaderente sem óleo ou na chapa sem óleo), assado, refogado, cozido, evitando as frituras e os empanados que agregam em sua composição muita energia em forma de gordura.

Quais cortes escolher?

As carnes mais gordas (cupim, picanha, fraldinha, costela, peles de frango) também devem ser evitadas pelo mesmo motivo. Utilize as mais magras no dia a dia que são: patinho, maminha, músculo (limpo), filé de frango e frango em pedaços sem pele. Para peixes o badejo, namorado e robalo são bons exemplos, os peixes marítimos normalmente possuem boa qualidade de gorduras.

As outras carnes (porco, por exemplo) podem ser utilizadas após o segundo ano, mas sempre devem ser oferecidas aos poucos, observando algum tipo de reação alérgica, sempre bem cozidos e de boa procedência.

Os embutidos (salsichas, salames, presunto, mortadela, etc) não devem ser oferecidos até o segundo ano de vida completos, e mesmo após essa idade devem ser evitados ao máximo, já que possuem excesso de gorduras saturadas, sódios e muitos conservantes (o nitrito, por exemplo, é comprovadamente cancerígeno).

A necessidade diária de carne é variável de acordo com a idade da criança. Com a idade de 3 a 6 anos a criança necessita de, em média, 60 a 80 gramas de carne por dia. Normalmente dividida em duas refeições (almoço e jantar) desde que ela consuma uma alimentação balanceada.

É importante pensar que para ter uma alimentação balanceada não é preciso gastar mais, comer somente verduras e legumes, consumir somente produtos requintados, difíceis de serem encontrados ou comer apenas alimentos de sabor desagradável. Para ser saudável é importante variar os tipos de alimentos, balancear os nutrientes e moderar as quantidades.