E se passaram quase três meses do meu relato quanto ao desfralde frustrado e como destaquei na época, o processo por aqui seria livre, leve e solto (risos) …. Na realidade, por conta, da experiência frustrada, adotei uma tática mais tranquila, dando tempo ao tempo e as coisas correram muito bem, por sinal.

Cecília já vai para a escola e passeia por muitos lugares sem fralda, até na pracinha já nos aventuramos! Ela veste a fralda _ adotamos a tipo calcinha _ para trajetos mais longos, ou para onde não sei como será a estrutura de banheiro, e durante a soneca da tarde e na hora de dormir a noite.

A escola foi um grande incentivo neste processo, afinal, muitos coleguinhas já haviam passado pelo desfralde e ela se sentiu motivada a ficar “menina grande” e acompanhar a classe nas idas ao banheiro. Além dos livros incentivadores que passearam aqui pela nossa casa no projeto da escola: o que tem na fralda, como animal vai ao banheiro, entre outros temas despertaram a atenção da filhota.

Cecília anda curtindo muito esta frase, pois é só sairmos para passear que ela anuncia aos quatro ventos: – “tô de calcinha!”<3

Como está sendo sair sem fraldas?
É um processo: antes de sair, vamos ao banheiro, e assim que chegamos no lugar de destino também. De tempos em tempos, a pergunto sobre a vontade de ir ao banheiro, muitas vezes ela diz que não, outras diz que sim…

Fato: no início do desfralde, a mochila voltou a ser uma bolsa de bebê, com tanta muda de roupa, lenço umedecido, calcinha e outra infinidade de coisinhas necessárias que relatarei.

 

O que tem na bolsa?

:: Protetor sanitário com dose extra de álcool
:: Saquinhos para as roupas batizadas com as escapulidas
:: Muda de roupa extra
:: Redutor sanitário dobrável portátil: nosso mais novo amigo! A querida amiga leitora Andrea Fregnani compartilhou comigo um verdadeiro achado que já adotei, prático e dobrável, a gente leva na bolsa e assim se sente mais a vontade para usar o banheiro ;)
:: Lenço de papel ou papel higiênico
:: Lenço umedecido
:: Sabonete líquido_ este foi o item acrescentado após um passeio no parque, onde não havia sabonete, e mesmo com o álcool em gel ainda acho que vale a pena ter por precaução…Troninho ou redutor?

Em casa utilizamos os dois. No início o troninho foi mais bem aceito e percebi que ela tinha mais facilidade para fazer o cocô, acredito que os pés no chão devam dar mais conforto, não é mesmo? Vale a experiência para você perceber o que será melhor para o seu filhote. E no caso dos meninos, há ainda a opção pelo mictório adaptado ao vaso sanitário.
Importante: se for viajar ou se ausentar de casa por um tempo, leve o troninho com vocês ;)

Ah, e sabe qual é o segredo do desfralde? Paciência, minha gente!

Ainda vamos aguardar um tempinho para o início do desfralde noturno, não tenho percebido sinais de maturidade neste sentido.

E por aí, como foi a experiência?