O pula-pula é um brinquedo amado pelo nossos pequenos!  E realmente tem vários benefícios, pois tira as crianças da inatividade, trabalha muito bem seu sistema cardio-respiratório, auxilia no equilíbrio, coordenação motora e na concentração.

É comum encontrarmos em buffets infantis e até mesmo em condomínios e casas, podemos também alugar para festas ou para as crianças brincarem em casa. Na maioria das vezes vemos as crianças se divertindo neles e muito, não é mesmo?Mas o pula-pula ou as camas elásticas quando utilizados sem os devidos cuidados podem ser bastante perigosos para nossos pequenos.

Tanto que o perigo da utilização do pula-pula foi reconhecido pela Academia Americana de Pediatria devido ao crescente número de acidentes com as crianças que usam esse brinquedo.

Foi observado também que não existem normas e regras de segurança para a utilização do pula-pula e existe uma frequente falta de informação dos pais sobre os riscos que essa atividade oferece.

Diversos estudos científicos têm sido publicados na literatura médica internacional visando responder a alguns questionamentos importantes como, por exemplo:

Qual a lesão mais frequente observada nas crianças que brincam no pula-pula?
Os trabalhos científicos afirmam que a principal lesão que ocorre nos acidentes com as crianças no pula-pula são as fraturas. Essas fraturas localizam-se, principalmente, nos membros superiores sendo o punho, antebraço e cotovelo as regiões mais acometidas. Predomina as localizadas no antebraço.
Quando acomete o membro inferior, a tíbia (osso da perna) é o local mais comum. Como acontecem as fraturas? 
Geralmente as fraturas ocorrem por quedas dentro do pula-pula causadas pela colisão de uma criança com a outra ou por quedas de uma criança sobre o membro superior da outra.

Qual a idade mais acometida? 
A faixa etária mais acometida são as crianças abaixo dos 6 anos de idade.

Qual o cenário propício para a fratura no pula-pula?

A literatura médica confirma também que 83% das lesões ocorrem quando o pula-pula está sendo utilizado por mais de uma criança ao mesmo tempo, sendo que em média basta duas crianças usarem ao mesmo tempo para que uma fratura ocorra.

Em 60% dos casos de acidentes com as crianças, o pula-pula não estava sendo supervisionado por nenhum adulto.

Qual o tipo de pula-pula?
O mais perigoso é o pula-pula de uso domiciliar, também conhecido como cama elástica e que não tem barras protetoras laterais com rede. Esses são responsáveis por cerca de 57% dos acidentes, principalmente devido à queda de crianças direto no solo por manobras realizadas e não controladas pela criança.

Algumas normas de segurança foram sugeridas pela Academia Americana de Pediatria:

:: Pula-pula não deve ser utilizado como atividade recreativa domiciliar;

:: Não deve ser usado por crianças abaixo de 6 anos;

:: Crianças devem ser sempre supervisionadas por adultos;

:: É necessário limitar o número de participantes por vez;

:: O pula-pula deve ter molas e barras laterais revestidas, acolchoadas e redes protetoras.

O Estudo conclui que o uso do pula-pula é uma atividade de risco; informar aos pais é muito importantes, principalmente sobre os risco de acidentes. Devemos educar os responsáveis pelo brinquedo e os participantes no sentido de evitar acidentes e lesões.  A atividade deve ser sempre supervisionada e os riscos devem estar expostos através de placas, de maneira clara, junto do brinquedo.

Tenho dois filhos, de 4 e 2 anos respectivamente, e ambos adoram brincar no pula-pula. Eu deixo que eles brinquem nas festinhas quando os brinquedos não estão cheios e se querem brincar com coleguinhas prefiro que sejam os de idades similares e um por vez. E eu ou o pai estamos sempre de olho e orientando nossos filhos! Mas quando são festas muito grandes, prefiro optar por outros brinquedos e brincadeiras.  Quando as festinhas são na minha casa, costumo alugar também, mas sempre alugo no mesmo lugar, pois conheço a qualidade dos brinquedos e manutenção dada. Opto pela cama elástica que é maior, portanto, mais difícil das crianças caírem quando pulam no meio dela, mas sempre com a proteção lateral, acompanho a montagem para me certificar dos cuidados com a segurança e o monitor fica instruído sobre deixar só de duas em duas crianças e da mesma idade pulando sempre uma longe da outra.Acredito que as crianças possam e devam experimentar todas as brincadeiras e, principalmente, as que estimulam movimento! Mas SEMPRE com orientação, cuidado e supervisão dos pais ou responsáveis.