Foto: Dynelle Coelho

O outono chegou e logo mais teremos o inverno. E com eles, o aumento no número de casos de doenças respiratórias (resfriados, gripes, bronquites e bronquiolites).

O principal agente causador das doenças respiratórias entre as crianças é o Vírus Sincicial Respiratório (VSR). Este vírus tem distribuição mundial e segue um padrão sazonal característico, circulando principalmente nos meses mais frios do ano. Assim como os Vírus Influenza, que também acometem o trato respiratório em todas as idades.

São vários os fatores que contribuem para o aumento das doenças respiratórias no outono e inverno. Além do aumento da circulação desses vírus nas épocas mais frias do ano, o contagio pessoa a pessoa, também está mais favorecido. Ambientes fechados com grande número de pessoas (ônibus, salas de aula, shoppings), contribuem para isso. Até mesmo nossas casas e apartamentos, ficam mais tempo com as janelas fechadas no inverno, diminuindo assim a circulação de ar.

Além disso, a diminuição da umidade do ar, característica deste período, resseca as vias respiratórias, fragilizando-as e possibilitando a entrada do vírus.

Como prevenir?

:: Vacinas: vacinas contra os Vírus Influenza são eficazes e seguras, e devem ser administradas anualmente nos maiores de seis meses de idade. Preferencialmente nos meses que antecedem o pico das doenças, ou seja, março e abril.

:: Circulação de ar: manter os ambientes sempre arejados e evitar aglomerações (principalmente em lugares fechados).

:: Hidratação oral: água e sucos são igualmente importantes no verão e no inverno. Atenção à umidade relativa do ar. Valores abaixo de 60% já prejudicam o trato respiratório, principalmente associado com o aumento da poluição também característica deste período.

:: Higienização das mãos: mãozinhas que coçam os olhos e o nariz (geralmente com coriza), e que vão à boca a todo momento, que pegam em tudo, são as principais responsáveis pelo contágio entre as crianças. Lavar as mãos (adultos também) com água e sabão é fundamental. O uso do álcool gel é complementar, nunca substituindo a lavagem adequada com água e sabão.

Atenção mamães! Não superaqueçam suas crianças, principalmente os bebês, com excessos de agasalhos. O suor molha as roupinhas, deixando-as frias, e invertendo a proteção. A criança superaquecida, se desidrata com mais facilidade. Além de ficar desconfortável e irritadiça.

O consumo de bebidas geladas, e sorvetes, não está relacionado com o aumento das doenças respiratórias.

E, finalmente, não deixem de brincar ao ar livre! Vistam suas crianças de maneira confortável e adequada ao clima, e aproveitem os parques e praças da cidade mesmo nos meses mais frios. Sem dúvida, o risco de contaminação ao ar livre, é infinitamente menor, do que em shoppings, cinemas, e qualquer outro lugar fechado com dezenas ou centenas de pessoas espirrando ao mesmo tempo.