Os alimentos congelados fazem parte do nosso dia a dia, auxiliando-nos pela sua praticidade. Mas ainda surgem dúvidas sobre o congelamento: há alteração no teor de nutrientes?

O congelamento conserva os alimentos a uma temperatura abaixo de zero até, normalmente, -23ºC. A vantagem, em relação à refrigeração, é que itens e preparações duram um tempo muito maior: ao invés de três dias na geladeira podem se manter inalterados por até um ano no freezer.

Os alimentos congelados são bem mais saudáveis do que se imagina (lembrando que estamos falando de refeições e alimentos saudáveis congelados e não produtos que possuem conservantes e excesso de sódio). A comida conservada em baixas temperaturas tem sua validade aumentada, são seguros e saborosos, além disso, os congelados podem ser ótimos aliados na cozinha, quando se pensa em praticidade e saúde. Ao contrário do que se pensa, os alimentos congelados têm sua qualidade e seus nutrientes garantidos pelo processamento e congelamentos corretos.

O ato de congelar o alimento preserva importantes nutrientes que, em temperatura ambiente, se perderiam. Diversos estudos já mencionaram que os alimentos congelados da forma correta, perdem pouquíssimos nutrientes em relação aos alimentos frescos, ou seja, o impacto sobre o valor nutricional é mínimo.

Congelar os alimentos em casa pode modificar um pouco a textura dos alimentos. Em casa, o congelamento lento pode danificar um pouco as células dos alimentos, o que pode prejudicar a textura, Por isso, alguns alimentos não ficam aparentemente “bonitos” quando os congelamos caseiramente. Quanto menor o tempo para o congelamento total do alimento, evita ainda mais, esse efeito.

O ideal é congelar porções que possam ser utilizadas de uma só vez, em sacos plásticos ou recipientes plásticos próprios. Descongelando apenas a quantidade que será ingerida na refeição, evita-se descongelar partes que não serão consumidas, diminuindo assim, o tempo de descongelamento, facilitando o consumo e evitando desperdícios. Isso vale para alimentos crus ou pré preparados quanto alimentos prontos.

E por fim, para a segurança alimentar, é necessário retirar ao máximo o ar das embalagens que serão congeladas: alguns microrganismos podem se reproduzir neste meio e, quanto menos oxigênio, menor a chance de contaminação e também, assim, retardamos o processo de deterioração dos alimentos.