” (…)Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai
Tempo amigo, seja legal
Conto contigo, pela madrugada
Só me derrube no final”

(Sobre o Tempo – Pato Fu)

O terceiro trimestre bate na porta, os dias voam, a barriga cresce e a lista de pendências também. Gente,  cadê os tais nove meses que demoram a passar? Cadê o tempo para organizar cada coisa em seu lugar, checar o que falta, registrar os selfies da barriga, me exercitar, relaxar e comer à vontade?! Muitas vezes ainda me esqueço que estou grávida e sigo na minha rotina sem parar para curtir o barrigão, os preparativos e tudo mais. Acho que a gravidez do segundo filho deveria durar 12 meses….


Essa gravidez foi muito desejada e planejada, por isso, me sinto muito grata por essa bênção em nossas vidas. Na medida em que Cecília foi crescendo, sentimos uma enorme necessidade de que ela compartilhasse suas vivências com um irmão/irmã. E é muito bom saber que esses momentos estão chegando :) Ao mesmo tempo, acompanhamos o seu crescimento diário e o distanciamento cada vez maior daquele perfil de bebezinho que sempre amamos. Ai, a primeira infância, também podia durar mais, né? Acho que o tom deste post é bem nostálgico…

Minha pequena está crescendo, já com quase 4 anos, as amigas estão tendo nenéns, o que aumenta a vontade de ter um novo bebê logo em casa, com aquele cheirinho especial, com seus resmungos e suas necessidades de cuidados. Tenho saudades até das noites em claro (já estou me preparando, já que a insônia imperou nessa gestação). Tá chegando a hora de viver tudo isso novamente e a ansiedade por aqui é grande ;) O bom da segunda gravidez, acredito eu, é que já conhecemos os processos, mesmo sendo um outro protagonista (estou certa, mamães de dois ou mais?)

Ansiedade, um fator comum entre as duas gestações. Se não me sobra tempo para executar, a cabeça não pára de funcionar. Sou muito organizada, por isso, piro quando as coisas não estão sob o meu controle. Agora, de férias com a pequena, tenho tentado deixar tudo esquematizado, mas falta tempo! Afinal, a garotinha quer atenção ao máximo e tem se mostrado bem sensível nos últimos dias. Na medida que a barriga cresce, os remelexos da irmã aumentam, os itens do enxoval começam a ficar cada vez mais presentes em casa, o nível de sensibilidade e ciúme por aqui está nas alturas! E muitas vezes, a minha falta de paciência também :(

E aí, como a gente faz? Repreende as peripécias _ erradas _  da mais velha? Faz vista grossa? Sempre que corrijo dona Cecília, chamo sua atenção, sinto uma culpa enorme… Ah, os dilemas da gravidez… Tudo bem, dizem por aí que a culpa é inerente à maternidade, mas vamos combinar que ninguém gosta de senti-la, né? E vocês, como fazem/fizeram? Como lidar com a inconstância de comportamento do primogênito em relação ao novo bebê?

……………………..
Ensaio Acompanhamento Gestacional
Fotos: Val + Wander Fotografias Emocionantes
Ilustração em giz: Dinoleta