Já estamos nos despedindo dos 7 meses à espera de Olívia. Puxa! Como a segunda gravidez passa rápido…
Ando meio melancólica. Conversando com algumas mamães, notei que realmente é muito comum a sensação de menos paparicos na segunda gestação. Explico: se a primeira é muito festejada e você se sente mimada o tempo todo, isso não acontece da mesma forma na segunda. Tanto por parte da família quanto dos amigos. Sim, é questão de tempo, de não fazer muita festa para não causar ciúmes ao primeiro filho mas, também, uma sensação de que agora, é algo comum. “Ah, ela está grávida de novo”, “Já sabe de tudo, não é mais novidade!”. Sabe de nada, inocente… Não me refiro aqui a paparicos em forma de presentes, mas de interesse, um telefonema para saber como estamos, uma conversa sobre os preparativos… E aí, fica aquela vontadezinha de ter sido mais mimada… Inconstâncias hormonais, a gente vê por aqui ;)
Em compensação, neste período, a barriga aparece de verdade, e o bebê se remexe o tempo todo. Então, a gente curte, conversa e sonha mais com o segundinho que está chegando. Olívia é muito arteira e samba o tempo todo no forninho e eu adoro! Sinto a companhia dela, tem coisa melhor? É aquela sensação de que não estamos sozinhas, né?
E com o crescimento da barriga, como fica a reação do primeiro filho? Algumas mães, durante as conversas nas praças da cidade, me relataram que os filhos ficaram mais próximos dos pais com a nova gravidez e elas tem a sensação de que estão perdendo seus pequenos. Comigo, tenho notado um comportamento ambíguo da Ciça: está bastante apegada a mim, mas é só o papai chegar, que fica mais agressiva e desobediente. Como se quisesse marcar o território. Já soltou pérolas como “Não é justo!”, “Não serei mais sua amiga!”… Também anda muito chorosa. Sabe aquela fase dos “terrible two”? Pois é, voltou com força total com a pequena prestes a completar 4 anos.  A única questão é que na reta final, com a barriga mais pesada, o cansaço, a insônia, e a jornada tripla de trabalho, confesso que não tem sido fácil ser paciente.
Muitas vezes ela se mostra super empolgada com os preparativos. “Ai! Que fofinho!” é a frase que mais repete. No chá de bebê que realizamos, ela não quis nem saber de Olívia, se entreteu com a primaiada e ninguém conseguiu conversar com ela sobre o assunto. Um comportamento compreensível, uma vez que as atenções estavam voltada para a barriga da mamãe, mas, eu tinha uma pontinha de esperança de que ela fosse ser mais participativa e a conversadeira de sempre.
Não tem jeito, o assunto ciúme ronda mesmo as rodas de conversa das gravidinhas do segundo filho. Afinal, não queremos sentimentos como inveja e rivalidade em nossas casas. E este tem sido o foco da minha atenção na reta final. Leio de tudo um pouco, dos blogs maternos aos artigos científicos da área de psicologia infantil.
Muitos especialistas afirmam que o comportamento do primogênito muda e que é bastante perceptível na alimentação, no sono e em alguns sinais de independência. O sono da Cecília anda bastante agitado, ela está na idade dos sonhos _ bons e ruins_ e tem acordado mais durante a noite. E durante o dia tem pedido para se alimentar mais, demonstrando uma certa ansiedade. Além disso, muitas vezes regride em aspectos que já tinha avançado, como usar o banheiro, fazer as refeições de forma independente, trocar a roupa.  Para tentar amenizar estes anseios da pequena, temos dado maior atenção à ela, reforçando a sua segurança e a autoestima, dando-lhe a garantia de amor constante, mas com bastante cuidado para não sermos superprotetores.
Com a aproximação do nascimento, já estamos nos preparando para envolvê-la nos cuidados com a irmã, como a troca de fraldas e roupas, de forma prazerosa e não como uma obrigação. O papai, super empolgado, envolveu a pequena na montagem de um telefone de lata para que ela pudesse conversar com a irmã, e toda noite lá estamos nós batendo altos papos <3
Também temos pensado em organizar o nosso tempo para que haja o momento de dedicação exclusiva à ela, como já acontecia antes da chegada da bebê. E as sugestões positivas de quem passou por isto de forma mais tranquila são sempre bem-vindas! Compartilhem comigo dicas valiosas ;)
Alô, Olívia!

……………………..
Ensaio Acompanhamento Gestacional
Fotos: Val + Wander Fotografias Emocionantes
Ilustração em giz: Dinoleta