A maior parte dos casais quando inicia o relacionamento, começa a imaginar a vida a dois e depois a vida com filhos. São milhões de planos e expectativas. Mas, normalmente, o que foi sonhado não é exatamente o que se vive e aí surgem milhões de dúvidas, medos e desentendimentos.

Um dos pontos que mais distancia o real do imaginário é o modo de se educar os filhos. Por mais que o casal tenha os mesmos princípios e valores, e queira ensinar isso aos filhos, a maneira como
será feita será diferente um do outro. Isso pode gerar grandes atritos entre os pais e causar uma grande insegurança à criança.

Levando em consideração que ninguém é perfeito, que não se nasce sabendo como criar um filho e que cada criança é única, é importantíssimo que todo casal reserve um bom tempo para conversarem sobre o modo que desejam educar seus filhos. Como cada um dos pais foi educado de um jeito, vale à pena fazer um levantamento do que consideraram bom ou ruim e chegar a um consenso sobre qual a melhor forma de educar.

Lembrando que em cada etapa da vida da criança será necessário fazer ajustes nesta forma de educar e é aí que também podem surgir grandes desentendimentos entre o casal, pois aqueles que são mais resistentes terão mais dificuldades em perceber a necessidade de mudança e, consequentemente, em executá-la. Para a criança, é extremamente importante que os seus educadores ajam da mesma forma. Pois se houver divergências entre o que é permitido, dito e como é punida ou recompensada, ela ficará perdida, insegura e usará as divergências para fazer o que bem quiser.


Um educador nunca deve tirar a autoridade do outro na frente da criança, porém se um achar que o outro está muito rude ou permissivo demais é preciso que isso seja comunicado e que se façam os ajustes necessários. Errar é humano, o que não se pode é permanecer no erro, então não tenha vergonha de pedir desculpas ao seu filho nem ao seu cônjuge. Exagerou na dose da braveza, alterou a voz mais do que precisava, foi grosso? Seja humilde, reconheça o seu erro e
principalmente, conserte-o.

A criança não deve ser criada através de ameaças e medos. Filhos que são sempre ameaçados não aprendem a respeitar a si e aos outros, eles passam a ter medo de seus pais e se tornam pessoas inseguras. Com isso, vão procurar acolhimento em outras coisas e pessoas fora do seu círculo familiar e, na maior parte das vezes, se tornam adultos infelizes.

Toda criança precisa ser educada e corrigida quando faz algo errado. A melhor maneira de se fazer isso é com acolhimento, carinho, amor e muita conversa.

Levando tudo isso em consideração, quanto menos divergências houver na maneira de educar as crianças, melhor será para ela, para o casal e para os demais educadores. Então, estejam sempre abertos a mudanças, procurem sempre se avaliarem para serem capazes de perceber se estão indo pelo melhor caminho.