Foto: http://www.vocesabia.net

O momento da refeição das crianças nem sempre é fácil, gerando estresse tanto para os pais ou babás, quanto para as crianças. Às vezes, pequenas frases podem a curto e também a longo prazo, dificultar esse processo e até mesmo alterar a aceitação por novos alimentos.

O que os pais devem evitar então?

Olha o aviãozinho.

A criança irá focar na brincadeira e não no que está acontecendo realmente, ou seja, tem o efeito de tirar o foco do alimento. Com o tempo, pode se tornar mais difícil alimentar a criança. Também é o caso de assistir televisão: perde-se o foco e a criança não irá regular a quantidade que consome.Se comer tudo vai ganhar…

A recompensa dessa forma reforça que o alimento é ruim e o que você der em troca é bom. Então a criança fará essa associação e sempre dependerá disso para se alimentar, inclusive na idade adulta.Só vai sair da mesa se comer tudo. 

A alimentação da criança está intimamente relacionada ao seu mundo, qualquer mudança pode refletir no apetite, por exemplo, se a criança está com sono ou agitada. E também tem a questão de que os pais, às vezes, colocam a quantidade que eles acham que a criança deve comer. É sempre melhor colocar uma quantidade de comida satisfatória e, se for o caso, repetir.O que você quer comer hoje?

A alimentação da casa não deve ser elaborada pensando: “vou fazer apenas o que o meu filho gosta”. Deve haver uma variedade de alimentos, cortes e texturas, pois tendo contato com alimentos diferentes, com o tempo a criança pode se interessar em consumi-los. Ao contrário, se houver a exclusão de alimentos, a criança perderá a oportunidade de experimentar.Fazer as refeições à mesa, se possível com a família, deixar a saladinha à disposição da criança e evitar televisão, celulares e outras atividades nesse momento, também são ações que contribuem muito para criar uma rotina alimentar positiva.