Foto: Patricia de Sá Machado

Quando Cecília nasceu, ela passou uma parte do tempo no berçário da Maternidade. Isto foi há quatro anos. Atualmente, os bebês ficam em alojamento conjunto com a mãe desde o nascimento.
É uma recomendação da OMS e do Ministério da Saúde, pois facilita o vínculo entre mãe e bebê, permitindo que a criança receba desde as primeiras horas de vida, carinho, atenção e cuidados familiares. Além disso, a mãe sai da maternidade mais segura para cuidar de seu filho em casa.
Durante a minha estada na maternidade em que Olívia nasceu, percebi que uma mãe de primeira viagem deve se preparar para estar com o seu bebê durante todo o tempo. Uma mãe de segunda, terceira, quarta viagem já tem experiência em situações como cuidados com o bebê, tais como trocas de fraldas, banho, amamentação etc. Já aquela que faz sua estreia na maternagem, se não tiver experiência nessas atividades, se não se preparou em um curso, pode se sentir insegura em ficar “sozinha” com a criança. Por mais que haja um apoio/suporte da equipe de enfermagem, senti uma atmosfera “se vira” nesta minha última experiência (foi assim com vocês?).

Por isso, compartilho algumas dicas para que você possa se preparar para este momento tão importante e especial:

Tente se preparar em um curso, assista palestras, para que assim fique mais segura nos momentos do banho e da troca de fraldas, por exemplo. Neste LINK relacionamos os principais cursos para casais grávidos de BH.

Na bolsa do bebê, não esqueça de incluir o material e as roupinhas para este momento. Cada maternidade tem suas próprias regras, e algumas pedem que as mães levem todo o material e enxoval necessário.

–  Os primeiros dias de amamentação são decisivos para o sucesso do aleitamento materno. Por esse motivo, durante o período em que permanecer na maternidade, a mãe deve receber o acompanhamento e o apoio necessário para dar início a esse ato fundamental para o bom desenvolvimento físico e também emocional do seu bebê. Além disso, deve aproveitar para esclarecer todas as suas dúvidas com a equipe médica. Solicite a visita da equipe de enfermagem para auxilá-la neste momento tão importante.

– O bebê deve dormir em seu berço, de barriga para cima e, caso apresente regurgitações e vômitos frequentes, a posição de lado pode ser adotada, desde que o bebê esteja adequadamente escorado com alguma almofada para não virar de barriga para baixo.

– Os horários de visita devem obedecer os horários da maternidade. É importante que as visitas sejam restritas e antecipadamente informadas que não deverão permanecer no mesmo ambiente em que o recém-nascido, caso apresentem algum sintoma de resfriado, gripe ou outra virose. O ideal é que as visitas evitem tocar o bebê, mas se o fizerem, devem lavar bem as mãos com água e sabão e passar álcool-gel 70%. O mesmo cuidado deve ser tomado pelos pais quando pegarem no bebê.

Mantenha o quarto ventilado e iluminado para evitar a icterícia.

– A alta não deve ocorrer antes que o recém-nascido complete 48 horas de vida, pois esse é um período de adaptações no organismo dele. Assim, para receber alta, o recém-nascido deve passar por uma avaliação criteriosa de suas condições clínicas e: não pode ter apresentado icterícia nas primeiras 24 horas de vida; tem que ter eliminado o mecônio (primeiras evacuações); deve estar urinando normalmente e mamando bem. Também é importante que os pais já saibam enfrentar as dificuldades na amamentação, consigam identificar a presença de icterícia e tenham adquirido habilidade e confiança para cuidar do seu bebê.

Algumas maternidades já oferecem o serviço de vacinação particular, fica a critério dos pais optarem por essa modalidade, uma vez que as vacinas iniciais são ofertadas pelo SUS (confira neste LINK o calendário)

Os primeiros dias na Maternidade podem ser muito cansativos, por isso, se possível, conte com acompanhantes que tenham experiência nos cuidados com bebês e possam te auxiliar nesse período.

Anote suas principais dúvidas para esclarecer junto a equipe médica sempre!

Fonte: Sociedade Médica de Pediatria