Natália nasceu com uma herança de brinquedos chiques, ganhou uma sacolada de brinquedos que sobem, descem, pulam, cantam e falam inglês, de um menino que a tempos deixou de ser bebê.
Mas como qualquer pessoa da idade dela, esses brinquedos não são nada perto de uma sacola plástica, papel de presente e pote com tampa da cozinha. Isso sem falar nas miudezas que suas pequenas mãozinhas não podem sequer chegar perto.

Já Bernardo era cheio de brinquedos sensoriais, desde pequeno já brincava de boliche com garrafas de plástico de leite. Tinha garrafinha com grãos, tinha potes de cozinha que encaixavam um no outro. Mas não pense você que era porque eu fazia de caso pensado, era mais por uma questão de economia e escolhas mesmo.

A ideia surgiu em uma semana em que Natália não queria ficar na cadeira enquanto eu fazia minha refeição. Sei que assim que ela também começar a comer o fato de ficar na mesa com a gente vai ser um pouco mais interessante, mas por enquanto ela reclama em pouco tempo. Dei um número de brinquedos diferentes para tentar distrair a menina, mas nada servia. Foi então que peguei um pote e coloquei no cadeirão. Pronto, na hora que ela viu o interessantíssimo potinho, ela sossegou e ficou encantada por mais alguns minutos. Mas foi só quanto vi a ideia na página do facebook da Diiirce, é que lembrei o quanto os brinquedos de bebê que eu mesma fazia para o Bernardo eram de fato cheio de entretenimento para o menino. Na hora corri preparar um para Natália.

E lógico trouxe um passo a passo para vocês, pois se você tem um bebê em casa o brinquedo também será sucesso por aí! Com o bônus de presentear a criança com um curioso objeto cheio de texturas, cores e movimentos diferentes, aguçando sobretudo a observação.

Para fazer essa brincadeira não existe uma regra definida. Separe uma garrafinha de plástico transparente, estrelinhas, bolinhas, bolicas, bichinhos, dados ou o que você tiver em casa. Misture com água para estimular a visão ou então deixe sem, para estimular a audição.

Importante: Como a garrafinha estará cheia de coisas fáceis de engolir, cole a tampa para vedar bem. Eu usei cola quente.

Até Bernardo ficou um tempo com a garrafinha na mão observando os movimentos dos objetos. E Natália brincou mais tempo do que costuma se interessar por um brinquedo. Um jeito simples, barato e sustentável de estimular nossos bebês ;)