Foto: Duorama Fotografia

Foto: Duorama Fotografia

Dizem que a mãe sente se o bebê é menino ou menina durante a gestação. Sempre achei isso folclórico e não tive essa sensação na primeira gravidez. No entanto, na segunda, ela veio bem forte – de um jeito, inclusive, que me fez até sonhar. Tá certo, tudo bem, a gente sempre vai ter 50 por cento de chance de acertar. Mas, rá! Eu acertei. E, de alguma forma, senti o maior orgulho, tive aquele sentimento de mãe super poderosa antes mesmo do bebê nascer (porque depois que nasce, a gente sabe que realmente surgem super poderes).

E mesmo com essa certeza toda, no dia do ultrassom revelador, acabei deixando escapar algumas lágrimas quando, fazendo um pouco de mistério, o médico, mostrando cada detalhe, confirmou: veja só, não tem como errar: você vai ganhar um menino ;)

Uau, um menino!

E eu quase levantei a plaquinha “eu já sabia”. Imediatamente, comecei a imaginar como poderia ser fantástico ter um garoto em casa :) Ok, vou perder quase todo o enxoval da pequena, porque não tem jeito, ele acaba sendo em sua maioria rosa mesmo. Mas quanta coisa nova devemos experimentar!

Saindo da clínica de ultrassom, já caminhava pensando em como dar a notícia à pequena. Ela pedia desde sempre uma irmãzinha, ó céus. Nessas horas, honestamente, a gente apela para qualquer artifício que possa ajudar. Por isso, agradeço muitíssimo o fato da Peppa Pig ter um irmãozinho. George tem me ajudado bastante nessa fase aceitação, confesso.

Agora, Sarinha já curte, beija a barriga, dá bom dia, boa tarde e boa noite para o irmão. Coisa linda de ver :)

E ficamos nessa de “irmãozinho” um bom tempo. Minha gente, não é nada fácil escolher nome de menino numa família numerosa (podendo evitar, prefiro não repetir o nome de um primo, tio ou cunhado, sabe?).

E aí namoramos uma lista de nomes masculinos durante muito, muito tempo. Ele por um tempo se chamou Caio. E para a pequena, era João. Um dia, a mãe de um coleguinha da escola me abordou parabenizando pelo filho João, que eu estaria esperando. Quem? “Ué, a Sara comentou na sala que ia ganhar um irmãozinho e ele se chamaria João” (oi? Só não contou pra mim). Nada contra o nome, muito pelo contrário, mas acontece que já temos um João na família, vamos pensar em outra opção?

Pensamos, repensamos e sim, nosso bebê já está nomeado. Escolhido com cuidado, com carinho, desses nomes que iluminam nossa vida. Um raio de lua, luar – nossa família, nossa praça, esperam com muita alegria a chegada do Raul :)