Olá mamães e papais, tudo bem?

No post anterior, falamos sobre a habilidade que a criança desenvolve aprendendo a pegar no
lápis para fazer várias tarefas, como escrever e desenhar. Vimos sobre em quais momentos e
como ela aprende a pegar no lápis.

Hoje vou dar dicas do que fazer quando a dificuldade aparecer e como estimular a criança
nesse sentido com brincadeiras. Vai ser tão divertido para elasque nem vai parecer que estão
treinando alguma coisa.

No início, algumas crianças podem ter mais dificuldade e tudo bem, existem borrachinhas triangulares que podem ser colocadas na região que se pega no lápis pra ajudar. Outra opção é engrossar o lápis com e.v.a, assim crianças que ainda não se sentem confortáveis com lápis mais fino se sentirão melhor e pegarão com mais facilidade.

Existe também um jeito divertido de ajudá-los: faça uma carinha em cada um desses três dedos
da criança e avise a ela que as três carinhas precisam ficar juntas no lápis. Elas se interessam
pelo desenho e prestam mais atenção na posição dos dedos. 


Além disso existem algumas atividades e brincadeiras que estimulam e ajudam a criança a
desenvolver essa habilidade, ai vai algumas sugestões:

• Envolva uma fita colorida próxima a ponta do lápis. Mostre como você segura o lápis sobre a fita e peça que o imite.
• Estimule jogos com pinos com diferentes tamanhos para que fortaleça os três dedos colocando e tirando os pinos no tabuleiro.

• Forneça-lhe brinquedos com materiais de diferentes resistências que ele possa apertar (bolas e bisnagas), deformar (massinhas ou bonecos de arame) ou grudar (Lego e blocos).

• Pegue um daqueles vidros de remédio com conta gotas que você tem no armário. Ensine a criança a apertar a borracha usando o dedo polegar e o dedo indicador. Use um timer e o programe para 5 segundos.Veja quantas vezes a criança consegue apertar. Faça isso várias vezes ao dia com a criança e assegure que ela use ambas as mãos. Esse movimento vai ajudar à criança a ter firmeza ao segurar o lápis para escrever.

Foto: Inventare Ideias

• Coloque areia numa bacia e faça desenhos junto com a criança. Incentive o uso do dedo indicador na confecção do desenho. Deixe que a criança brinque depois. Explore outras texturas com a criança. Tinta, milho, arroz, creme de barbear, água com anilina colorida e algodão são outros exemplos.

• Rasgar jornal e papel também ajuda. Você pode convidar a criança para depois fazer uma chuva de papel ou uma grande colagem.

• Compre uma folha de EVA e recorte algumas figuras (de preferência as preferidas da criança). Por exemplo, se ela gosta de carros,corte figuras de um carro comum, um de corrida e um jipe. Se a menina gosta de brincar de bonecas, corte uma camiseta para boneca, chapéu e bolsinha. Escolha duas figuras apenas para começar. Faça um furo no meio das figuras e entregue um cadarço para a criança. Sentado atrás da criança faça com ela o movimento de constura, enfiando o cadarço nas figuras. Primeiro use
sua mão por cima da criança. Aos poucos, faça menos pressão nos movimentos até que a criança coloque duas figuras independentemente. Aí sim você pode incorporar mais figuras. Esse exercício ajuda muito no movimento de pegar o lápis. Aconselha-se começar com figuras de EVA para depois passar a pequenas contas.

• Pegue um timer e marque quantas vezes a criança consegue rodar a mão para abrir a porta ( com uma maçaneta redonda). Esse movimento é bom para o pulso e, com certeza, vai ajudar a criança a posicioná-lo na hora de escrever.

• Confeccione com a criança um chocalho com garrafinhas de plástico de refrigerante e macarrão, milho ou lentilha dentro. A criança além de colocar os grãos finos e pequenos dentro da garrafa deve a balançar o chocalho para frente e para trás mas sem mexer o braço, somente o pulso. Se for necessário, nas primeiras vezes, segure o anti-braço da criança para que ela não o mexa. Esse exercício dá mais agilidade para o pulso.

Se você estimular e mesmo assim a criança ainda tiver dificuldades e não conseguir evoluir nesse processo, procure um terapeuta ocupacional e ele fará uma avaliação sobre as possíveis causas e poderá ajudar melhor a sua criança.

Espero que vocês tenham gostado das dicas!

Beijos,
Mari Lacerda.