Favim.com

Sempre que ouvimos sobre criação de filhos referencia-se que a criança aprende e apreende muito mais com exemplos do que com palavras. O que mais se destaca é que as crianças estão atentas a todos os detalhes de nossas ações, e os repetem exatamente igual, tanto para as atitudes positivas quanto para as negativas. Elas também ficam atentos a tudo que falamos para elas, por elas e, principalment,e delas.

É muito comum os pais reclamarem que seus filhos não lidam bem com frustrações, ou que ficam agitados quando tensos, mas não observam que eles próprios também fazem o mesmo. E aí cobram dos filhos atitudes maduras que nem eles conseguem ter. Vocês já observaram que nos dias em que nós, pais, estamos mais cansados, agitados e sem paciência são os dias que os nossos filhos mais aprontam e nos tiram do sério? Pois é, será que eles que estão mais “sapecas” ou nós mais cansados?

Não é humanamente possível ser paciente, tolerante, calmo, tranquilo vinte e quatro horas por dia, 365 dias por ano. Sempre teremos momentos irritadiços e estressantes. Mas a maneira com que lidamos com estes momentos é que será fundamental para ensinar as crianças a lidarem com suas frustrações, cansaço e angústias. E para lidar bem com uma situação ruim é preciso primeiramente reconhê-la e assumir para si, e se preciso, para os outros, que não está bom do jeito que está. E tentar reconhecer o lado positivo da situação, lembrando que tudo na vida tem os dois lados. E em um dos lados estará a solução para o problema.

“Ah, mas eu perdi a cabeça, xinguei, esperneei, gritei e meu filho presenciou tudo, agora ele ficará marcado para sempre?” Depende da maneira como você lidará com as consequências dos seus atos. Se você reconhecer que errou e explicar ao filho que sua atitude foi errada, mas que você está tentando mudar isso, ele provavelmente vai lhe mostrar uma saída para seus problemas e vai compreender que aquilo não é bom. Agora, se você não reconhecer seu erro, não der nenhuma justificativa para seus atos e passar a repeti-lo com frequência, aí sim, você estará ensinando que é através do grito, da violência (mesmo que verbal) e do estresse que se resolve os problemas. E seu filho passará a tentar resolver tudo da mesma maneira.

É através dos exemplos dos adultos que a criança aprende o que é carinho, afeto e amor. Tenho observado que muitos pais se policiam apenas para não serem grosseiros com seus filhos ou com as pessoas que os rodeiam. E esquecem de demonstrar afeto, ternura, amor e interesse.

Quantas vezes já ouvi os pais dizendo “Nossa fulano é tão carinhoso, meu filho nunca fez isso comigo”! E eu sempre pergunto: “você faz isso com ele”? E em cem por cento das vezes a resposta
é: “não”. Então, como  seu filho fará algo que não aprendeu com você?

Quando notar um comportamento que não considera legal em seu filho,  observe se realmente o problema está com ele ou com você. Fique sempre atento aos exemplos que está dando para ele. Até o início da adolescência, nós seremos seus espelhos e, por isso, eles crêem que a maneira que somos é a única maneira correta de ser.

“É mais fácil ensinar do que educar. Para ensinar, você só precisa saber, mas para educar você precisa ser!” – não sei a autoria desta frase, mas resume muito bem o assunto deste post 😉