Pintar é sempre bom demais. Com pincel, com os dedos, com as mãos e… por que não com os pés!? Basta colocar um bom pedaço de papel no chão e jogar tinta.
 Resolvemos testar essa deliciosa experiência em um parque, colocando botinhas de plástico-bolha nos meninos para imprimir pegadas estampadas com bolinhas no papel. Mas o efeito planejado não deu certo! Talvez porque usamos uma tinta grossa demais, pois queríamos uma consistência espessa para deixar a sensação de pisar mais gostosa e, principalmente, menos escorregadia e mais segura. Mesmo assim, corujas que somos, começamos a atividade sentadas bem pertinho dos pequenos, para ajudá-los no caso de possíveis escorregões. Aos poucos, enquanto eles pisoteavam as manchas de tinta sentindo as bolhas estourarem nos pés, ficamos mais seguras e nos afastamos, deixando que brincassem de um modo mais livre.
Não demorou para a vontade de fugir do papel aparecer. Foi então que as botinhas saíram para explorar outros cantos do parque, trazendo de volta folhas, gravetos e terra. E já que o efeito imaginado das pegadas estampadas não aconteceu, concluímos que era o momento de retirar as botinhas improvisadas e deixar os pés brincarem. Os meninos então jogaram o resto das tintas no chão e exploraram as texturas com passos, pulos e até mesmo ganhando distância da cena para depois voltar correndo. O resultado ficou lindo demais!

Quer aprender a fazer tinta caseira? Tem receita lá no Massacuca.

O papel fica pequeno e as botinhas saem para passear pelo parque.

 

Que gostoso é experimentar com os pés descalços

 

DICAS

  • Para facilitar a limpeza e evitar manchas de tinta forre o chão com plástico antes de colocar o papel.
  • Prenda o papel no chão com fita adesiva para evitar que deslize durante a brincadeira.
  • Usar um único pedaço bem grande de papel facilita. É possível comprar por metro em papelarias ou até mesmo em lojas de material de contrução. Mas grudar várias folhas com fita adesiva também funciona.
  • Quer fazer a atividade dentro de casa? Escolha um local fácil de limpar e suficientemente espaçoso para a criança andar de um lado para o outro.
  • Dentro de casa deixe um pano úmido sempre próximo para tirar as manchas que podem escapar do papel e limpar os pés no final da atividade.
  • Fora de casa, incorpore na brincadeira objetos da natureza. Usar galhos e folhas é uma ótima maneira de explorar diferentes formas de pintar.
  • Para os pequenos, que ainda não dominam totalmente o equilíbrio do corpo, faça a atividade de mãos dadas, dando segurança e encorajando que explorem as sensações.

PRINCIPAIS ESTÍMULOS

  • Tato e visão. Explorar tinta com os pés é uma delícia! E também uma experiência sensorial que ajuda a exercitar o reconhecimento corporal da criança. Um estímulo bem diferente do que pintar com dedos ou pincéis, que pode surpreender os pequenos.
  • Ao ar livre o olfato também pode ser estimulado através dos cheiros da mistura de tinta com terra, flores e folhas.
  • Imaginação. Proponha criar desenhos com as pegadas ou estimule a criança a dançar no papel. O resultado além de lindo é também muito divertido!
  • Coordenação motora. Crie desafios para os maiores como, por exemplo, pisar nas pegadas deixadas anteriormente. É um ótimo exercício de equilíbrio.



SEGURANÇA

  • Escolha uma superfície plana para fazer a brincadeira, sem qualquer obstáculo que possa machucar os pés descalços.
  • Use uma tinta mais espessa e não abuse na quantidade, evitando escorregões.
  • Prenda o papel no chão para evitar que deslize.
  • Não deixe as crianças brincando sozinhas e fique sempre atendo durante toda a atividade.

PREPARO e BAGUNÇA

  • Preparo moderado.
  • Forrar o chão facilita e a tinta é fácil de limpar mas.. sim, faz bagunça! Não desista, a diversão é garantida.
…na opinião das mamães, a obra ficou linda demais!
Fotos: David Barkan