Como vimos no último post, em um primeiro momento, ao iniciar a alimentação complementar, oferecemos legumes e frutas em troca de uma das mamadas da manhã e tarde, aos poucos e bem amassados. Essa fase dura aproximadamente uma semana a dez dias, no máximo.

A partir daí podemos enriquecer um pouco mais a alimentação do bebê, assim:

:: Manter esses dois horários: meio manhã ou meio da tarde para fornecer as frutas amassadas;

:: Inserir a papinha no horário do almoço;
:: Oferecer água durante o dia todo.

O suco pode substituir a fruta? Não. Suco de fruta não é ideal para iniciar a alimentação complementar em troca da fruta. O suco pode ser oferecido conjuntamente com a fruta. Mas é preciso um cuidado: por possui energia o suco pode dar uma sensação de plenitude ao bebê, então evite dar antes e durante refeições. Suco também não substitui a água. É necessário dar o suco sempre? Não, é melhor oferecer a fruta. E evite ao máximo dar suco aos pouquinhos, durante todo o dia, deixe essa função para a água.

Como deve ser a papinha do bebê? Uma papinha completa, balanceada e nutritiva é muito importante! Lembramos que essa é uma das maiores fases de crescimento e desenvolvimento do ser humano e o alimento é um dos fatores mais importantes para que isso ocorra da melhor forma. Então, uma papinha ideal não é uma mistura de legumes que temos na geladeira. Cada grupo alimentar tem uma função e devemos utilizá-los na proporção correta:

:: Grupo de energia: batata, baroa, mandioca, inhame, batata doce, etc;

:: Grupo das vitaminas e minerais: legumes;

:: Grupo do crescimento: carnes;

:: Grupo do ferro e fibras: folhos (verde-escuros);

:: Óleo e temperos naturais na proporção.

Aos seis meses ainda evitamos farinhas, arroz e massas por mais um mês. Carne de porco e peixe cru apenas após um ano de idade. O peixe cozido (livre de espinhos e de boa procedência) pode ser oferecido a partir dos seis meses.

A textura da papinha deve ser bem amassada, em forma de creme. As carnes devem estar totalmente desfiadas e “molinhas”. Os folhosos devem ser homogeinizados na papinha. Muitos temperos verdes devem ser oferecidos (manjericão, salsa, cebolinha, alho, cebola, etc).

Nessa fase evitar oferecer qualquer tipo de alimento duro e seco. Essa adaptação é muito importante para que o bebê prossiga com tranquilidade nas próximas etapas.

A papinha pode ficar por até 24 horas em geladeira, devidamente acondicionada (em potes com tampa, utilizados apenas para esse fim) e podem também ser congeladas, em porções de cada consumo. As sobras do pratinho do bebê devem ser descartadas.

A higiene dos alimentos, do ambiente, utensílios e do preparador também é muito importante para evitar contaminações:

:: Separe só para o bebê os utensílios que ele vai usar: pratinho, talheres, copinho, tábua, panela. Não é muita coisa e vale a pena!
:: Para quem preparar os alimentos: usar touca e lavar as mãos regularmente. Não cozinhar com a roupa “da rua”; sempre trocar por uma roupa apropriada.
:: Dica: tente preparar a alimentação do bebê em horários que a cozinha de casa não estará sendo usada para outras refeições.

Comecemos assim e seu bebê receberá saúde!

Na próxima semana continuamos com o assunto. Mande suas dúvidas e sugestões!