A querida amiga dessa praça Mari Camargos, mãe do Pedro e da Isabella, escreveu um texto que muito nos representa sobre essa nossa vida de mãe de dois, e é claro, que a gente não podia deixar de compartilhar com vocês <3

“Quando nos descobrimos grávidas do primeiro filho, uma avalanche de pensamentos brotam em
nossa mente. Começa a corrida contra o tempo para nos prepararmos para a chegada do bebê. Não sabemos nada. Ao querer fazer o melhor que pudermos corremos atrás de toda fonte de conhecimento e informação que existe para nos prepararmos para sermos mães.

Livros com uma infinidade de temas nos cercam. Tem o livro que ensina a colocar rotina, ensina a dormir a noite toda, como fazer dormir sem chorar, ou aquele que deixa o bebê chorar até dormir.
À medida que vamos lendo e aprendendo sobre este mundo novo, moldamos nosso modelo de
maternidade. Criamos afinidades com algumas teorias, seguimos determinada linha, para exercer esta linda tarefa, que não vem com um manual padrão. E olha que tem muita gente por aí escrevendo com propriedade sobre este tema.

O primeiro filho é assim. A gente se prepara, lê, contrata enfermeira, participa de grupos de mães,
pega todas as dicas! Junta sete listas de enxovais, compila tudo e compra roupa para os 12 meses de vida e perde metade das roupas por que o bebê cresceu demais e você não teve tempo de vestir.
Adquire pelo menos umas três marcas de mamadeiras e bicos, pois não sabe como será a
amamentação e faz um estoque de utensílios que talvez nunca use, mas na duvida melhor ter no
armário!

Depois de nove meses de espera, preparação e muito estudo, eis que seu bebê vem ao mundo como você desejou! Está ali ao seu lado, aquela bolotinha com cara de joelho, todo enroladinho e dependente de você, para viver os próximos meses de vida.

Ai entra em ação (quase) tudo que leu e aprendeu nos livros-manuais de maternidade que comprou.
Amamentar de 3 em 3 horas, ou livre demanda? Dormir no berço ou no quarto dos pais?
Amamentação exclusiva ou aleitamento com fórmula? Todas estas decisões que tomamos e têm
como base o que aprendemos e acreditamos ser o melhor.

Na maternidade, enquanto está sob os cuidados médicos, tudo é bem tranquilo. Você come, dorme,
amamenta e ao contrário do que ouviu e leu em relatos de mães recém-paridas, parece que será
fácil, cuidar de seu bebe! O que ouviu de assustador sobre os primeiros dias de vida de um bebê , mais parece um terrorismo de quem fala do outro lado.

Temos a certeza de que nosso bebê será o mais anjo de todos e irá te deixar dormir a noite toda!
Engano seu, tudo o que te falaram pode ser multiplicado por três e ainda assim você não estará
preparada para a mudança repentina que é a chegada do primeiro bebê em casa. Todos os livros que
leu, e as conversas que teve, não serviram para te preparar para nada. Da noite para o dia você simplesmente irá experimentar todas as sensações que não conhecia, do  amor incondicional à sensação de ser acordado de 3 em 3 horas ou menos para alimentar um bebezinho.  Seu corpo simplesmente não estava preparado para aquilo!

As noites mal dormidas, os choros que você não reconhece ainda, os grunhidos e rangidos que o
bebê faz a noite te despertam a cada 5 minutos. Será que ele esta respirando? E o cansaço se acumulando…

Tudo, tudo que acontece não estava previsto como você imaginava, leu ou ouviu falar.
Seu corpo e sua mente começam a entrar num processo de exaustão e você começa a achar que não
sobreviverá a este primeiro mês. A boa notícia é que tudo passa! Leva aí uns três meses para vocês se entenderem. Seu corpo aceitar a nova condição e você começar a comprovar que tudo aquilo que lhe falavam nas rodas de mães era isso e muito mais!

Pois bem, o primeiro filho te faz vencer uma batalha por dia!
É uma vitória a cada instante, a cada minuto, quando soube atender aquele chorinho, quando adivinhou a “mágica” que iria calar e aconchegar seu bebezinho.
Com o tempo, tudo melhora e no final do primeiro ano de vida muitas conquistas foram experimentadas pelos pais. A cada mês uma deliciosa descoberta, primeiro ele assenta, depois come a papinha, os dentinhos  nascem, ele engatinha, levanta no berço, anda de mãos dadas, bate palminhas, da uma gargalhada, fala “mamã” e te deixa derretida. Que ano!!!! Intenso com muitos erros e acertos. Muitos choros da mamãe e do bebê. Muito cansaço e poucas horas de sono!

Ah! O primeiro filho! Você venceu o primeiro ano com louvor. Ele já é capaz de dormir a noite toda sozinho, deita no berço e adormece sem você precisar sacoleja-lo por horas até cair no sono. Já é um serzinho lindo e com vontade própria e que entende muitas coisas que você diz a ele, que é capaz de te surpreender com toda sua esperteza!

Aí vem o 2o filho. Você não teve tempo ou não precisou reler todos os livros manuais de maternidade do mercado. Não conseguiu se dedicar como na primeira gravidez a organizar as roupinhas por cores e meses. Lavou tudo com quase 36 semanas de gestação e deixou para fazer as compras da farmacinha com quase 38 semanas! Aonde foi parar o tempo?

O bebê nasce, e muitas coisas estão frescas em sua memória, outras você tem que relembrar! Mas
algo inesperado acontece… Aquela lembrança que você tem, dos primeiros meses em casa, as noites
interrompidas a cada 3 horas, o choro inexplicável… Tudo agora parece não ser mais uma batalha e
você vive com a maior naturalidade do mundo essa condição achando a coisa mais normal e o mais
incrível: com disposição!

O 2o filho é capaz de tirar aquela sensação de que os primeiros dias de um recém nascido são surreais e inimagináveis. Ele nasce e você já não tem o desespero em seguir as regras do manual de
capa azul. Tudo é muito mais simples e fácil do que você experimentou com o primeiro filho. O 2o filho é a sobremesa, a curtição, expectativas baixas, o desconhecido já é conhecido. Você percebe que apesar de seguir à risca o livro, seu bebê tem o próprio ritmo e você irá descobrir o que sua família precisa, para ter uma rotina feliz e leve!

Muitas são as redescobertas com o 2o filho e cada dia que passa, ao invés de vencer o desafio, têm a
conquista de um novo dia desfrutado ao lado deles, cada um com suas novas descobertas e aprendizados diários!

O primeiro filho te ensina a ser forte e o segundo filho te ensina a ser leve!”