Quando escutamos sobre fast food e suas más consequências para a alimentação, principalmente de crianças e adolescentes, entendemos quais são as reais causas?

O termo fast food significa comida rápida, uma refeição que é servida para ser consumida em curto período de tempo. O que já é uma contra mão ao conceito de uma boa alimentação: o tempo rápido de consumo prejudica nosso organismo a “sentir” a saciedade e geralmente o consumo alimentar é maior. Perde-se também a questão cultural do “se alimentar”: estou comendo pra quê? O alimento não deve ser uma das maiores formas de prazer do ser humano? E como teremos esse prazer engolindo um alimento em 10 minutos? Difícil, né.

Mas o que realmente está implícito nesse termo “fast food” é a forma como esses alimentos e refeições são preparados. Com o objetivo de um grande consumo pela população, o fast food geralmente é preparado em grande escala e armazenado em grandes quantidades para servir ao público rapidamente. Sendo assim, sua principal característica é possuir muitos conservantes e trocar nutrientes saudáveis por outros que fazem mal à saúde. Teoricamente, eles contribuem com o sabor de um alimento armazenado e ainda ajudam na sua conservação, como: gorduras, muito sal, óleos de propriedades industriais, amidos modificados, glicose e tantos outros.

É importante não confundir alimentos fast food com a nova tendência de alimentos práticos e que podem ser saudáveis, como: vegetais, polpas e refeições congeladas sem conservantes, alimentos processados (que já vêm cortadinhos para uso prático, sem conservantes), sucos naturais da fruta sem conservantes ou açúcares, além de alguns enlatados naturais ou à vácuo. Esses alimentos são resultado de pesquisas para diminuir o desperdício de alimentos e ao mesmo tempo tornar nossa vida prática e sempre saudável.

Por isso, é essencial essa análise: qual a praticidade que pode contribuir com a saúde e bem estar da minha família auxiliando também na vida corrida versus o alimento que em longo prazo vai contribuir com problemas graves de saúde, que não alimentam, não possuem identidade cultural e que tentam entrar a todo custo como uma tradição de nosso povo?

Espero que com com o post de hoje, possa ter ajudado um pouco a distinguir um do outro e apresentar os reais motivos para a melhor escolha!