Foto: Patrícia de Sá

Estive recentemente com a família na exposição “DaVinci – A Exposição”, no Itaú Power Shopping. A proposta desta exposição é apresentar parte da obra do gênio renascentista: Leonardo DaVinci, que se destacou como pintor, engenheiro, inventor, músico, filosofo, arquiteto, matemático, escultor, astrônomo, biólogo, desenhista, projetista e escritor além de outras ocupações determinadas por suas habilidades. Filho de um tabelião e uma camponesa, Leonardo nasceu na Itália e viveu entre os anos de 1452 e 1519, época em que a humanidade passava por diversas modificações na sua forma de enxergar o mundo. Conhecido como período do Renascimento, os séculos XIV, XV e XVI, marcariam para sempre a história ocidental.

Podemos afirmar que Leonardo DaVinci foi um fruto de seu tempo com visões bem avançadas sobre o futuro. Seu domínio sobre diversas áreas das ciências lhe deram a fama de: “O homem Enciclopédia” – para aqueles que não estão acostumados com o termo, é como se DaVinci fosse algo parecido com o “Google” de sua época. A história de Leonardo por si já seria um excelente convite a conhecer sua obra, entretanto, a exposição se propõe a algo ainda mais interessante: a partir dos diversos desenhos elaborados pelo autor, foram produzidas peças manipuláveis para ilustrar a tamanha genialidade do italiano. Muito mais do que um estudioso, Leonardo da Vinci foi um homem da experimentação. Segundo ele: “A simplicidade é o último grau da sofisticação”, assim, partindo desta premissa, suas criações utilizavam princípios matemáticos elementares para gerar resultados grandiosos.

Foto: Patrícia de Sá

Imaginei que comparecer a uma exposição sobre um cientista do renascimento italiano não seria um programa tão amigável para as crianças, mas foi só colocá-los diante de obras possíveis de manipulação que foi revelado como a ciência pode ser divertida. Normalmente nossos filhos pequenos necessitam explorar o ambiente também de forma tátil. Uma das primeiras reações diante da novidade é o desejo de manipulá-la. Em outras exposições, tocar nos objetos expostos é impossível. Para nossa felicidade, nesta sobre DaVinci, esta prática é até incentivada.

Assim, um escafandrista pode se tornar um parceiro de dança; em um canhão de guerra pode se brincar de “toca do coelho”; e o centro de jogo de espelhos pode revelar dezenas de imagens de si mesmo aguçando a curiosidade. Meus filhos adoraram! E o mais interessante, e o que deixou papai e mamãe orgulhosos, foi a bateria de perguntas que surgiram após esta experiência: explicar porque o peso fica mais leve com o uso de roldanas; esclarecer porque o barquinho tem duas rodas gigantes do lado de fora (esboço do pedalinho); responder por que a “Monadeusa” (Monalisa) estava sorrindo foram algumas das perguntas que tivemos de achar boas respostas. Nada mais favorável para transformar aquelas “cabecinhas curiosas”.

Nos momentos que vivenciamos dentro da exposição, as crianças aproveitaram para tocar e experimentar a maioria das obras: os modelos mecânicos foram os mais apreciados pois a noção de movimento estava sempre presente. As pinturas geraram curiosidade sobre os personagens retratados e sobre as cores utilizadas nos quadros. Os esboços bélicos tiveram os seus usos convertidos em desafios de “alpinismo” e os modelos voadores aumentaram a curiosidade e favoreceram a imaginação.

Na saída da exposição foi possível ainda que os pequenos deixassem sua versão colorida e pessoal da Monalisa para registro a posteridade. Não sabemos ao certo se o sucesso das obras produzidas por eles será o mesmo do autor original, mas isso nos importa menos. O que nos agradou foi vivenciar uma experiência lúdica e interativa que certamente foi capaz de contribuir para a visão e percepção que as crianças estão construindo sobre o mundo. Quem sabe com isso não estamos dando nossa pequena contribuição no surgimento de novos gênios modernos?! Vale a pena pensar a respeito!


Foto: Patrícia de Sá

Foto: Patrícia de Sá

Foto: Patrícia de Sá

Foto: Patrícia de Sá

Foto: Patrícia de Sá

Foto: Patrícia de Sá

Quer conhecer?
Classificação livre
Itaú Power Shopping: Av. David Sarnoff, 5160 – Cidade Industrial
:: Até 15/04, de segunda a quinta 17h às 22h; sexta e sábado 10h às 22h; domingo 10h às 20h
:: Ingressos: R$ 20,00 de segunda a quinta (inteira); R$ 30,00 de sexta a domingo (inteira)
Cliente UnimedBH paga meia entrada em qualquer dia e horário apresentando a carteirinha
Vendas: www.ingressorapido.com.br ou no local