O tempo de desenvolvimento da criança é assunto recorrente nessa praça. Infelizmente, a falta de respeito com elas tem me chamado a atenção. Hoje, há uma pressão para que a criança se enquadre em determinados parâmetros impostos pela sociedade desde o nascimento. Ela deve ser sempre feliz, sorridente, extrovertida, sociável e obediente – todos os dias e o dia todo.

Timidez tem sido comparada a um pecado social. Há poucos dias, eu e minha filha presenciamos uma triste cena no supermercado: uma senhora foi brincar com uma criança que estava na fila e se escondeu entre as pernas da mãe. A tia, que a acompanhava, começou a brigar com a menina, chamando-a de bicho do mato, sem educação etc. Quanto mais a tal tia falava, mais a menina se encolhia. A minha filha, que também é um pouco tímida, olhou para mim e disse “mamãe, por que a moça está falando isso tudo para ela? Ela só está com vergonha e acho que está ficando muito assustada”.

Naquele momento, ficou claro o desrespeito quanto ao tempo e à personalidade da criança. Sim, a criança deve ser educada, porém, ela tem o direito de ter dias – ou momentos – de mau humor, de tristeza, de “levadeza”ou até “braveza”.

O ser humano precisa vivenciar todos os sentimentos para crescer e se desenvolver. Ter a liberdade de se expressar o torna mais seguro. É importante que os pais, junto com a criança, avaliem se estes sentimentos ou atitudes estão sendo benéficos ou maléficos para o filho e para a família. E caso cheguem à conclusão de que não está sendo bom, então comecem a ajudar a criança a mudar. Sem críticas, sem julgamentos e com muito respeito, carinho e paciência.

Criticar uma criança quando está com vergonha, ou enjoada, mal humorada, cansada, poderá trazer consequências graves para o seu desenvolvimento. Pois quando não se respeita a sua maneira de ser, ela pode se tornar cada vez mais tímida ou mais agressiva, dependendo da situação. A criança precisa do outro para se compreender, e se este não consegue lhe explicar o que está acontecendo e sempre critica sua atitude, ela nunca entenderá os motivos pelos quais age daquela maneira, ficando com raiva.

Os pais também devem ficar muito atentos às reações dos filhos quando recebem críticas de
terceiros, sejam conhecidos, ou não. Vale a pena evitar aquelas pessoas, uma vez que para a criança, o comentário é encarado como uma ofensa, afinal, a pessoa não tem intimidade com ela, muitas vezes não a conhece e já chega invadindo seu espaço e a criticando.

A maioria das crianças precisa de um tempo para se relacionar com as pessoas. Elas têm esse direito e isso deve ser respeitado. Quando são criticadas por pessoas que não fazem parte do seu convívio diário, normalmente correm e contam para os pais. Geralmente, tomam essa atitude para ouvir deles que o outro está errado. Mas, também, pode ser um pedido de ajuda para mudar uma característica que pode não agradar. Então, cabe aos pais acolher e diferenciar se foi apenas um desabafo ou um pedido de ajuda.

Vale também refletir sobre a nossa responsabilidade nos acessos de mau humor das crianças. Muitas vezes, desrespeitamos os seus limites – seja em um momento de cansaço, sono, ou quando não está preparado para fazer algo e exigimos demais. Quanto maior o desrespeito, maior a “braveza”. Isso também vale quando queremos tratá-los aquém do que já são capazes.

A criança é um ser humano em formação que precisa de tempo, e cada uma tem o seu para amadurecer, desenvolver e aprender a lidar em uma sociedade exigente e cheia de regras. Educar uma criança com respeito, carinho e paciência fará com que ela cresça sabendo se respeitar e respeitar os outros, tornando-se capaz de lidar com as situações da vida com mais segurança e tranquilidade.