O ferro é o principal micronutriente da dieta das crianças até 2 anos de idade. Sua deficiência está associada à anemia ferropriva, ao retardo do desenvolvimento neuropsicomotor, a queda nos mecanismos de defesa e da capacidade intelectual.

Uma das causas de anemia nos recém-nascidos e bebês é a baixa reserva de ferro ao nascer, isso pode acontecer quando a mãe está deficiente e assim a anemia perdura na criança. O aleitamento materno é muito importante para obter esse mineral. Mas, quando o bebê já se encontra anêmico (com a anemia ferropriva constatada) é necessário suplementar (ministrando sulfato ferroso, por exemplo) e nessa situação apenas a fortificação alimentar não adianta.

Para prevenir futuras anemias, a alimentação é de fundamental importância. Os alimentos ricos em ferro podem ser de alta, média ou baixa absorção, ou seja, nosso organismo consegue absorver alta, média ou baixa taxa do ferro presente no alimento. Essa informação é muito importante, pois, nem sempre aquele alimento rico em ferro é realmente excelente em absorção.  Inserir alimentos ricos em ferro de alta absorção é a maneira eficaz de prevenção da anemia.

Quais são os alimentos de alta absorção?
Leite materno, carne suína, carne bovina, frango, peixe, brócolis, açaí,, fígado (preferencialmente, o orgânico).Quais são os alimentos de baixa absorção?

Feijão, soja, leite de vaca, espinafre, beterraba, ovo.

Os alimentos ricos em ferro devem ser consumidos diariamente, principalmente, os de alta absorção, evitando o consumo juntamente com alimentos ricos em cálcio (leite e derivados).

As frutas cítricas auxiliam nessa absorção se consumidas após as refeições: mexerica, acerola, laranja ou limonada.

Lembre-se: A atenção deve ser redobrada aos bebês prematuros. E para as famílias vegetarianas o acompanhamento nutricional é imprescindível para estabelecer um plano alimentar sem deficiências.