Reprodução/Instagram

Uma querida leitora que está grávida sugeriu que falássemos sobre o enxoval do segundo filho, afinal, trata-se de uma experiência bem recente nesta praça. Aproveitamos para consultar outras amigas recém mãe de dois – ou de duas – para sabermos, na prática, o que tem sido funcional e como elas montaram o enxoval da segunda cria.

Na primeira gravidez, a gente se perde em listas e listas de enxoval {aqui e aqui tem dicas sobre o assunto}, e muitas vezes compramos vários itens supérfluos que acabam não sendo utilizados, ou várias unidades do mesmo item. Mas a experiência muda e molda a gente, né? O que vale mesmo é o afeto, a tranquilidade e o núcleo familiar para essa experiência dar certo. Os itens são apenas acessórios para nos auxiliar.

Muitas mães, quando decididas pelo segundinho, optam por guardar peças de valor afetivo ou até mesmo vários itens do primeiro enxoval. E foi assim com as peças herdadas por Olívia de sua irmã Cecília: o aproveitamento foi total, das mantas aos vestidos, além do berço, banheira e bebê conforto. O quarto por aqui também é compartilhado.

O que tem sido muito útil?


:: Sling! Com Cecília, usei um modelo – pouch – que ela não se adaptou. Com Olívia, uso e abuso do wrap e é excelente
:: Carrinho guarda chuva – na nossa opinião, é o modelo mais prático, já falamos sobre neste post
:: Tapete de atividades – nada melhor para entreter e estimular um bebê – e os próprios pais podem pensar nos estímulos, sabia?
:: Bouncer – esse foi presente herdado e deveria ter usado na primeira, vale muito o investimento. E sabe o que é legal? Sempre encontramos com ótimos preços em bazares de desapegos.
:: Mochila – bolsa grande pesando um braço? Não! Neste post a gente conta os motivos por escolhermos essa peça prática
:: Balde – Olívia adora tomar banho de balde – agora já estamos naquele de silicone por conta do tamanho da bebê – acalma e diverte (em breve, teremos post nesta praça)
:: Ordenhadeira elétrica – empréstimo de família que tem sido de função essencial ;)

O que foi dispensável?

:: Sapatos! É só tentar calçar algo na pequena que ela fica super impaciente. Investi então em meias sapatilhas
:: Roupas RN e P de frio – Olívia nasceu em agosto e estava um calorão! Vale muito a pena avaliar com calma o período em que seu filho irá nascer e fazer uma projeção do peso x tamanho x idade x estação ao invés de sair comprando aquele monte de peças sem planejamento
:: Toalha fralda – usei muito com Cecília, mas para a segundinha, apostei na praticidade e já parti direto para a toalha felpuda, macia e gostosinha para enxugar a pequena
:: Protetor de berço – usamos apenas no primeiro mês e logo dispensamos, por conta de acúmulo de poeira e da própria segurança da pequena (saiba mais aqui).

O que não usei na primeira nem na segunda?


:: Roupa de saída da maternidade
:: Kit troca de fraldas – eu mesma montei um prático e de fácil limpeza e manuseio
:: Termômetro para banheira – nada melhor do que o bom senso de mãe!

Vale ficar esperto!

:: Em relação aos tamanhos das roupinhas: usei peças RN – Olívia nasceu com 3kg – P e poucas M, pois mesmo em datas de nascimento próximas – em estações mais quentes – o calor do último ano foi imbatível, e quase não usei com a Olívia os macacões e bodies de manga longa que outrora foram da irmã. Antes de completar seis meses, a pequena já estava usando G e já estamos em peças GG, EX ou 1 ano.

:: Sobre chupetas, mamadeiras e afins: espere o bebê nascer para avaliar a necessidade. O ideal é que não seja oferecido ao pequeno para não prejudicar a amamentação.

Esperamos que as dicas ajudem :) Se você também é mãe de dois e tem algo a compartilhar, conte pra gente!