Ao ouvir diversas mulheres, mães, esposas e seus tantos questionamentos sobre o desafio de ser quem são me fez pensar sobre o tema “voltar a ser você mesma”. Ao entrar no universo materno, a gente constata essa nova força que surge no universo das mães, um novo campo gravitacional.

E a bem da verdade é assim mesmo. Um novo ser completamente dependente e puro aparece na sua história, te impelindo, inclusive, a pensar num novo roteiro de vida, a readaptar seus horários, seus esquemas, seus conceitos, gostos e prioridades, como aquela natação que fica pra depois.

Mas não há anulação nisso, e sim soma de melhorias e aprendizados crescentes. Algumas mulheres acabam se anulando e perdem-se de si mesmas. Pois, além de tudo que já é desafiador por si só, existem muitos palpites e cruzamento de influências dentro e fora de casa.

Divergências, por exemplo, de criação, de opinião e de crenças. E isso desgasta, sufoca, te induz a reavaliação constante a ponto de se sentir uma pessoa pior e talvez perdida. Imagino muitos travesseiros molhados à noite, por lágrimas de inquietude e menos valia. Mas calma! Faça uma pausa para refletir tudo o que você sempre sonhou e acreditou um dia. O objetivo é fazê-la lembrar de todas as tomadas de decisão rumo ao acerto que você deu baseadas, sobretudo, em quem você é – na sua consciência e na sua formação. Mesmo que não tenha dado certo. Afinal, você tentou, era em busca do melhor.

É preciso ser quem você é, e não apenas alguém que somente agrada aos outros. Pois isso é anular-se e ir ao encontro do tal perfeito, mas que é sufocante, que martiriza e faz você pensar que nunca dará conta de ser você e isso te bastar. O gostoso é aceitar-se, é oferecer ao outro a melhor versão de si mesma, sem expectativas, cheia de defeitos, mas também cheia de qualidades lindas, que encantam, somam e é capaz de te fazer feliz.

Doar-se ao próximo é possível. Porém, mais do que isso, é preciso doar-se antes a si mesma. Isso é necessário para seguir em frente, rumo aos seus sonhos.

Pense: a expectativa criada é do outro, não sua. Não vieram te perguntar se seria capaz de oferecer aquilo que almejaram! Aceitar-se é: supremo descanso, liberdade para seguir livre de preconceitos, encorajar-se para novas atitudes, para novo rumo e reencontrar a si mesma!