O feijão, ultimamente, anda meio esquecido da alimentação do brasileiro. Talvez seja porque seu cozimento é um pouco demorado para os padrões de tempo que temos hoje e também porque as pessoas que optaram em se alimentar fora de casa diminuíram o hábito de consumi-lo.

Uma pena!

O feijão é do grupo das leguminosas, um alimento EXCELENTE para nossa saúde. Possui ferro, muitas fibras, proteína e se combinado com o arroz é uma excelente fonte de aminoácidos. Promove saciedade (demoramos mais a sentir fome) e se cozido da forma simples (sem carnes gordurosas e excesso de óleo) possui calorias controladas. É essencial no desenvolvimento de bebês e crianças por possuir além do ferro, zinco e magnésio. Pode ser inserido na alimentação do bebê desde o início, aos 06 meses, primeiramente amassadinho.

Qual a quantidade de consumo de feijão diária (mínimo)? Uma colher de sopa de grãos (com caldo a quantidade deve ser duplicada).

Para melhorar a absorção do ferro é interessante incluir vitamina C (mexerica, acerola, laranja, por exemplo) ou carne conjuntamente na refeição.

E para quem evita comer por causa dos efeitos (flatulência) veja a dica: deixe o feijão de molho no dia anterior. Ao cozinhar no dia seguinte dispense a àgua do molho, coloque outra. Cozinhar com pedacinhos de gengibre também ajuda a diminuir esse efeito.

Outras leguminosas que fazem parte do grupo do feijão e podem substitui-lo no dia a dia: feijão branco, ervilha seca, soja, lentilha.

O feijão preto possui maior quantidade de ferro que o feijão carioca? A quantidade de ferro do feijão preto é levemente maior, mas no geral esse aumento é insignificante, sendo assim, a família pode escolher o tipo de feijão de acordo com seus hábitos e preferências.

O feijão é um alimento muito saudável que deve estar presente na refeição de toda a família!