Já sabemos que a criação de bons hábitos começa desde muito cedo. Vamos conferir algumas dicas que os pais e responsáveis podem adotar para ajudar a família nesse processo:

01. Conseguir estabelecer uma rotina. As refeições e os lanches devem ser servidos em horários fixos diariamente, com intervalos suficientes para que a criança sinta fome na próxima refeição. E nunca ofereça qualquer tipo de alimento entre as refeições e lanches (apenas água). Normalmente o intervalo é de 2 ou 3 horas. Se na refeição ou lanche a criança não aceitar os alimentos, a refeição deverá ser encerrada e oferecer algum alimento apenas na próxima. Não se deve oferecer leite ou outro alimento em substituição à refeição.

02. O tamanho das porções dos alimentos nos pratos. Comece com pouco e sempre pergunte se a criança quer mais, para depois servir o prato novamente. Aos poucos, a família consegue perceber a quantidade que a criança se sente satisfeita. Se, em algum dia, a criança recusar a quantidade que está acostumada a comer, insista mas não muito: ela não deve se sentir pressionada a comer tudo sempre. Criança com sono, doentinha, nervosa, tende a alterar o apetite.

03. Oferecer líquidos nos horários das refeições deve ser controlado, se possível, evitado (não deixe à vista). Os sucos, a água e, principalmente, o refrigerante, causam distensão, modificando o apetite. O ideal é oferecer água à vontade nos intervalos das refeições para que a criança não sinta necessidade de ingerir líquidos na hora de comer.

04. Salgadinhos, balas e doces devem ser evitados. Melhor maneira de fazer isso: não ter em casa, apenas em eventuais eventos. A proibição tende a gerar efeito contrário: causando maior interesse. A recusa em comprar deve sempre ser acompanhada da explicação. Nunca faça da sobremesa uma recompensa.

05. O ambiente é importante! A criança deve ser confortavelmente acomodada à mesa com os outros membros da família (se possível). A aceitação dos alimentos é muito motivada pelo exemplo familiar, dia a dia: a família é um modelo. O ambiente na hora da refeição deve ser calmo, sem a televisão ligada ou quaisquer outras distrações, como brincadeiras e jogos. Evite a ansiedade e a pressa.

06. É muito efetivo envolver a criança nas tarefas que incluam as compras e a preparação das refeições, como participar da escolha do alimento, da sua compra no mercado ou feira e da elaboração dos pratos que não apresentem riscos de acidentes ao manuseio.

07. Preferir sempre uma alimentação colorida, com formas e texturas diferentes pois a monotonia alimentar, com o tempo, pode diminuir o apetite e também a curiosidade em experimentar novos alimentos.

São dicas interessantes para a família que trazem um resultado surpreendente na formação de bons hábitos alimentares. Vamos começar já?