Desde quando me casei planejo comprar uma mesa de jantar pra sala de casa.

Pois é, até hoje não tenho mesa, a não ser na cozinha. Acontece que nos dois apartamentos onde morei havia uma mesinha fixa na cozinha que sempre funcionou para as nossas refeições. Então, mais uma mesa pra quê?


Ué, pra receber as pessoas. Pra fazer jantares especiais. Pra comemorar um aniversário com bolo. Pra jantar na sala, só pra variar.

Desde então venho pesquisando – mesa de madeira, laqueada, de seis ou oito lugares, tampo de vidro ou de madeira de demolição, ladrilho hidráulico ou tampo de mármore, quadrada, retangular ou redonda.

Já visitei shopping, revirei o Barro Preto, a Silviano Brandão. Orcei, peguei cartão, medi, fotografei.

Aí volto pra casa, vejo a Sara correndo e montando sua casinha de boneca naquele vão, no meio da sala. E começo a imaginar também Raul já engatinhando ali. Quem mora em apartamento entende do que estou falando: qualquer espaço para a meninada correr faz diferença. Aí não dá, desisto da mesa.

E continuamos tomando café, almoçando e jantando na cozinha mesmo. É mais apertadinho, mas é aconchegante. E tem espaço pra família e pra muito carinho.

Daqui um tempo, com Raul maior, quem sabe volto a investir nessa história. Enquanto isso, vou colecionando referências do móvel. E boas lembranças com os filhotes :)