Este post aborda um assunto pouco discutido, mas de grande importância para o conhecimento dos pais: a erosão nos dentes de leite. Vamos começar com uma pequena historinha:

A mãe cuida do filho, oferece o que há de mais saudável. E quando menos imagina, na consulta com o dentista:

– Você oferece muito suco para seu filho? – Pergunta o profissional

– Sim, o dia todo! Suco de laranja natural! Sempre cuidei muito da alimentação dele. – Diz a mãe orgulhosa.

– E água?

– Bom… É praticamente suco. Água é bem menos…

O suco natural é muito bem-vindo. E deve ser oferecido às crianças, assim como as frutas. O que se coloca em questão é a acidez do suco e a alta frequência dos mesmos, que pode ter como resultado uma erosão indesejável nos dentes, com consequências na função mastigatória e/ou na estética.

Ao observar a erosão nos dentes da criança, o dentista vai investigar as causas junto à família. O suco em alta frequência não é o único responsável.

Mas afinal de contas, o que é essa tal erosão?

Erosão típica de refluxo gastro-esofágico

1) Os ácidos que vêm da alimentação ou do estômago causam o amolecimento da camada mais superficial dos dentes, sejam eles de leite ou permanentes.
:: Ácidos da alimentação: refrigerantes, sucos de frutas como laranja, limão, tangerina, caju, abacaxi e uva, assim como essas frutas in natura, entre outros.
:: Ácidos do estômago: o refluxo gastro-esofágico é uma patologia frequente nas crianças em que o ácido retorna do estômago para a boca. Muitas vezes pode ser assintomático.

2) A saliva reverte o processo de amolecimento do esmalte. Ela é a responsável pela reposição de minerais para o esmalte do dente, por apresentar cálcio na sua constituição e por ajudar a neutralizar a acidez do ambiente bucal. 

3) Porém, se o ataque ácido é muito frequente, e de forma exagerada, o esmalte do dente sofre uma erosão. Ele se apresenta alterado e pode prejudicar a estética e a função mastigatória.

4) Erosão é diferente de cárie. A cárie é causada por ácidos das bactérias, especialmente o ácido lático. A erosão é causada por diferentes ácidos de alimentos ou do suco gástrico.

E agora? O que fazer?

1) Se for constatado o refluxo gastro-esofágico, ele deve ser tratado com o acompanhamento do pediatra da criança.

2) Se a causa estiver na alimentação:

:: Os alimentos ácidos não devem ser consumidos em excesso.

:: Dê intervalos entre as alimentações de ao menos duas ou três horas. E entre as mesmas, apenas água.

:: Espere uns vinte minutinhos após a alimentação ácida para escovar os dentes. A escovação imediatamente após a exposição ao ácido não é recomendada. Ela pode causar danos ao esmalte pelo fato de já haver uma desorganização do mesmo pelo contato intenso com o ácido. E também porque a saliva não conseguiu tempo suficiente para agir. Esta recomendação é uma prevenção contra a erosão, e deve ser seguida especialmente por aqueles que já apresentam sinais da mesma nos dentes.

:: Refrigerantes devem ser evitados.

:: Tomar suco ou refrigerante com canudinho minimiza o ataque ácido.

3) Devemos agir para paralisar o processo de erosão. Um desgaste de porte maior vai precisar da intervenção do dentista para restabelecer a função estética e mastigatória.

A prevenção é importante para que não venha a ocorrer também com os permanentes! Mas atenção: ofereça ao seu filho uma mexerica, acompanhe-o naquela laranja deliciosa, faça sempre sucos naturais. E dê intervalos entre as alimentações. O equilíbrio e o bom senso são bem-vindos!

*Este post contou com a colaboração de Maria Dolores Fernandes, especialista em ortodontia pela FOP UNICAMP e mestre em odontopediatria pela PUC MG (CROMG 14257)