Photo 8

Quem nunca se questionou sobre se as suas atitudes são as melhores para seu filho? Em vários momentos da vida das crianças, principalmente, naqueles em que tudo parece desabar, os pais se perguntam se estão no caminho certo e o que devem mudar. E isso é natural e importante, pois à medida que os filhos crescem, os pais amadurecem. Não há como tratar uma criança de um ano como a de cinco anos.

Muitos comparam a criação dos filhos como as etapas de um jogo. A cada fase, um novo desafio mais díficil. Na realidade, não aumenta-se a dificuldade, mas como nos adaptamos à fase anterior, nos esquecemos que no início também foi necessário superar diversos desafios.

Criar filhos exige muita astúcia. É preciso perceber que algo já não funciona mais e se adaptar sempre as novas realidades, conquistas, independências, exigências e maturidade. Como cada criança exigirá uma atitude diferente de seus pais, isso torna a mudança um dos maiores desafios.

Quando a criança tem uma personalidade forte, questionadora e decidida, ela não se deixará levar de qualquer maneira. Ela exigirá de seus pais muito mais explicações e justificativas para cada combinado, regras e limites. Cada sim ou não terá que ser justificado, e caso ela não se convença, irá questionar, argumentar, desafiar e discordar até que realmente lhe mostrem uma justificativa que entenda como sendo o melhor. Essas características não devem ser limitadas, ou inibidas, o que deve ser feito é ensinar que há regras que são inquestionáveis como, por exemplo, o uso de uniforme para a escola, e outras, já podem ser negociadas.  Mas nunca se deve podar a capacidade de argumentação de uma criança.

Já quando a criança é mais passiva, os pais tem mais facilidade em colocar limites. Muitas vezes, essa criança é rotulada de  “boazinha”. Mas deve-se ficar muito atento, pois muitas vezes há um grande trabalho para mostrar a essa criança que ela não deve aceitar tudo que lhe é imposto e que é importante expor suas vontades.

Trata-se de equilíbrio. Criar um filho é saber equilibrar-se em uma corda bamba que de um lado está os excessos da permissividade e do outro o das proibições, de um lado está à vontade de deixar tudo como está e do outro de mudar tudo radicalmante.  Tentar chegar ao equilíbrio para cada filho é o maior desafio dos pais. E isso gera muitas incertezas, dúvidas, medos e angústias. Mas se houver amor, paciência e dedicação tudo se ajeitará.

É fácil? Não é. Não nascemos sabendo educar um filho. Muito pelo contrário, aprendemos durante seu crescimento. É um aprendizado diário, em que deve haver mais paciência e menos cobrança para consigo mesmo. Mais diálogo e menos culpa. Mais entendimento e menos desespero. Mais dedicação do que desistência. Tente sempre se colocar no lugar da criança para perceber seus desejos. Se seu filho já tem em torno de 2/3 anos, dialogue bastante. Incentive-o a expor seus sentimentos. Quando a criança tem espaço para se expressar e se sente acolhida, a tarefa se torna mais tranquila. Se a criança é menor que dois anos, ou tem uma personalidade mais quieta, perceba por suas atitudes, expressão, para entender seus sentimentos. Crie possibilidades para ela se abrir, ensine sobre a importância de expor o que se sente.

Não se esqueça, desafios serão presentes eternamente na sua vida e na do seu filho. Você é o maior exemplo para ele sobre como lidar com tudo o que acontece na vida. Não fuja das dificuldades e angústias, não tenha medo de demonstrar suas fragilidades, nunca desista, sempre enfrente seus desafios. Quando conseguir superá-los, será ótimo, mas caso não consiga, valeu pela tentativa e o aprendizado será útil em uma próxima etapa.