O dentista examina a criança e dirige-se à mãe:

– O seu filho está com muita placa.

– Placa no dente de meu filho? É grave, doutor? É cárie?

A placa bacteriana pode estar presente? Qual o significado disso? E quando ela se torna um problema? Conseguimos removê-la sem a ajuda do dentista? Por que ela ocorre?

A placa bacteriana é composta por elementos da saliva, bactérias e restos alimentares. Ela se forma sobre o dente e vai se tornando mais espessa à medida que o tempo passa e não é removida. E quanto mais frequente e rica em açúcar a alimentação, maior o potencial da placa para desmineralizar o esmalte dentário. E levar a todo o processo de cárie, iniciando-se com a alteração da cor do esmalte para um esbranquiçado, passando para uma perda inicial de material do dente, indo para a formação visível de uma cavidade dentária, até chegar ao extremo da dor, quando se atinge o canal.

Outra consequência da não remoção periódica da placa é a inflamação gengival. E o sinal disso é claro pelo sangramento que se observa ao se passar o fio dental ou mesmo a escova.

A placa bacteriana forma-se o tempo todo e é removida através da escovação e uso do fio dental. A desorganização da placa é a melhor palavra. Pois não conseguimos eliminar a mesma, visto que está sendo formada a todo o momento, pelo simples fato da saliva e das bactérias estarem presentes na cavidade bucal. O importante é não permitir que ela se torne espessa e não alimentá-la por açúcares com frequência.

A higiene bucal da criança deve ser complementada pelo adulto até que alcance certo nível de habilidade motora e consciência de autocuidado. Isso pode acontecer com cinco anos de idade ou só aos doze. Cada criança deve ser avaliada individualmente nestes quesitos. O dentista pode ajudar os pais neste ponto. Em geral, até os oito anos é importante o complemento pelos pais ao menos uma vez ao dia.

Algumas vezes, pelo fato da placa estar espessa, os pais não conseguem uma remoção efetiva da mesma. Pode-se tentar com uma gaze ou ponta de fralda, com um pouco de pasta de dente, ou até seca. Escovas elétricas também oferecem bons resultados.

Uma boa higiene bucal e alimentação com intervalos de duas a três horas (e entre as mesmas, apenas água) é o grande segredo.