Foto: Patrícia de Sá

Um parque que arrebatou os nossos corações. Um parque sensorial, com um gramado verdinho a perder de vista, muita sombra, lago, e vários “mini-córregos” para deleite da meninada. Logo pensamos: ideal para o Na pracinha! E por lá já aconteceram Encontros, Piqueniques e a Estação Sensorial.

Reformado em 2010, o parque Roberto Burle Marx faz parte do complexo ecológico da Serra do Rola-Moça, divisa da Serra do Curral. As nascentes formam o Córrego do Clemente, afluente do ribeirão Arrudas que integra a bacia do rio São Francisco. Há um lago em que a criançada se diverte procurando os peixinhos e os “mini-córregos” que são um refresco.

O parque também faz sucesso com os observadores de pássaros devido às inúmeras espécies que voam por lá. Uma delas, a tiê-sangue, é considerada uma das mais belas do mundo. É possível encontrar tucanos, pica-paus, sabiás, gaviões,corujas, saracuras, gambás e micos-estrela, que podem ser vistos em passeios pelas trilhas.
Centro de Educação Ambiental, anfiteatro, academia da cidade e galpões utilizados pela comunidade em trabalhos como artesanato e mercearia, além de um viveiro de plantas ornamentais também fazem parte do espaço. Pés de jabuticaba também estão por lá e são uma atração a parte.
Na parte mais alta do parque ficam as quadras e brinquedos infantis – já o visitamos inúmeras vezes e até hoje não conseguimos conhecer essa área, pois a parte baixa por si só é um atrativo e tanto para “ganharmos” o tempo!

 

Pra brincar de panelinha Foto: Bem Me Quer
Pra brincar de panelinha
Foto: Bem Me Quer
Pra ganhar tempo em família Foto: Duorama
Pra ganhar tempo em família Foto: Duorama
E explorar os sentidos Foto: Duorama
E explorar os sentidos Foto: Duorama

 

É pra brincar na grama, na água, na terra, na lama Foto: Duorama
É pra brincar na grama, na água, na terra, na lama Foto: Duorama

 

Com espaço de sobra pra brincar do que desejar Foto: Duorama
Com espaço de sobra pra brincar do que desejar Foto: Duorama

 

Multi sensorial Foto: Bem Me Quer Fotos
Multi sensorial Foto: Bem Me Quer Fotos
Em cada cantinho, uma supresa Foto: Viviane Lacerda
Em cada cantinho, uma supresa Foto: Viviane Lacerda
O lago é uma atração a parte Foto: Patrícia de Sá
O lago é uma atração a parte Foto: Patrícia de Sá

 

Muito espaço para brincar Foto: Patrícia de Sá
Muito espaço para brincar
Foto: Patrícia de Sá
Uma arena especial que fez sucesso em nossos eventos Foto: Duorama
Uma arena especial que fez sucesso em nossos eventos Foto: Duorama
O passeio vale a pena, reserve uma bela manhã para curtir!
Fique por dentro das regras do parque:
Fonte: Fundação de Parques MunicipaisNo parque é permitido:
:: brincar de bola: desde que leve, de plástico e que as brincadeiras não perturbem o bom funcionamento do parque;
:: andar de bicicletas de aro 12, 14 e 16 nas áreas delimitadas para o exercício da atividade;
:: o uso de patins, patinetes ou similares para crianças de até 12 (doze) anos de idade;
:: soltar pipas de papel nas áreas autorizadas, desde que não se utilize fios cortantes (cerol ou similares), longe da rede elétrica e sem perturbar os demais usuários.

 

E o post recebe um update especial com a colaboração da nossa querida leitora Sabrina Sabioni, mãe do Igor, que passeou por lá e visitou o parquinho (viva!): “No último domingo fomos conferir a dica de vocês do Parque das Águas e AMAMOS. Realmente um achado, que lugar incrível. O Igor adorou brincar com a água, ver os peixes, mico e garça, percorrer o parque seguindo uma trilha (guiada por dois amigos que conhecemos por lá e nos indicaram o caminho até os brinquedos), brincar no parquinho, fazer piquenique e curtir o verde e ótimas sombras.  Chegamos aos brinquedos com ajuda, realmente não há indicações e sem perguntar não dá para saber onde é. Andamos bastante, subimos, subimos, subimos, passamos pelas quadras, vestiários (mal cuidados) e no topo encontramos o parquinho. Os brinquedos são de madeira e tem um sombra gostosa em uma parte deles. Escada, ponte, casinha e escorregas compõem esta estrutura que divertiu o pequeno. Até casinha de um dos porquinhos o Igor achou por lá e se divertiu com um amigo que se tornou o lobo. Para voltar ao oásis que é a entrada do parque descemos uma escadaria completando o passeio e todo o percurso do parque, chegando aos aparelhos de ginástica.”

A área dos brinquedos é distante da parte baixa e mais descampada

 

Brinquedão!
O que tem de bom por lá?
:: Espaço verde e fontes
:: Conservação
:: Ótimo destino para um piquenique
O que pode melhorar?
:: Placas indicativas para orientar sobre os brinquedos e as quadras
:: Educação do público frequentador: vimos alguns lixinhos espalhados pelos locais inadequados

 

Quer conhecer?


Exibir mapa ampliado

#post atualizado
update 06/01/16