Foto: Patrícia de Sá

Uma das maiores dificuldades dos pais, é reconhecer que seus filhos cresceram e estão se tornando independentes nas tarefas cotidianas. Muitas vezes, a necessidade de auxílio, presença e apoio para lidar com as novas situações que surgem com o crescimento, não são percebidas facilmente.

Aos três anos, as crianças se julgam capazes de realizar tudo sozinhas. Quando não conseguem, frustram-se e logo correm para o colo dos pais, procurando apoio. Algumas de maneira dócil, outras bem hostis. Buscam o apoio, mas sentem-se mal por ainda precisarem da ajuda. Nesse momento, os pais deve ter muita paciência e jogo de cintura para lidar com as discrepâncias da fase.


É muito importante estar atentos para reconhecer qual é a melhor maneira de ajudar a criança a
solucionar um problema. Ensiná-la a solucionar o que lhe desafia e incentivá-la a lidar com as frustrações de forma tranquila, e não resolvendo por ela. Mostre que não é bom “fracassar”, mas que muitas vezes, isso acontece. E que não é porque não conseguiu da primeira vez, que não conseguirá sempre. Ensine a procurar alternativas para solucionar o problema. Não menospreze um sentimento de frustração e impotência. Acolha a criança e ensine que isso é normal e trata-se de um aprendizado para tudo na vida. Pois são com os erros que conseguimos achar novos caminhos para solucionar nossos problemas. E é na infância que aprendemos a lidar com todos os nossos sentimentos, inclusive o fracasso e a frustração.

O diálogo e o acolhimento são essenciais, mas não podemos esquecer que os pais são os exemplos. Então, atente-se para a forma como lida com fracassos e frustrações e avalie sobre a lição que está demonstrando a seus filhos. 
O crescimento da criança é feito por fases, é extremamente importante respeitar as novas conquistas e encorajá-la. “Ah, mas isso dá muito trabalho, pois ela demora a fazer uma coisa que eu faço rápido e pode fazer muita sujeira” – você pode pensar. Realmente, não é simples. De manhã, todo mundo atrasado para sair, a criança resolve que irá se vestir sozinha. Demora meia hora só para colocar o short, depois resolve que vai servir o suco sozinha. Derrama na blusa e aí tem que fazer tudo de novo… É o momento das adequações. Acorde um pouco mais cedo até ele ficar expert para executar essas tarefas, aí com pouco tempo você poderá voltar a dormir mais um pouco, e ele já executará tudo com mais presteza e habilidade.
O ser humano precisa de tempo para aprender. A partir do momento que ele treina aquela tarefa, a mesma se torna fácil e, consequentemente, é feita com mais rapidez e precisão. Então, não apresse 
seu filho quando ele estiver aprendendo algo, pelo contrário, incentive-o e o oriente. Lembre-se que seu tempo é muito diferente do dele. E que muitas vezes precisamos aprender com eles a nos desacelerarmos, a admirar o que está ao nosso redor e, principalmente, a valorizar quem está ao nosso lado.
Temos muito a ensinar aos nossos filhos, mas temos mais ainda o que aprender. A melhor maneira de aproveitar todo esse aprendizado é estar ao lado deles respeitando seus  desejos e individualidades, pois quando existe respeito, tudo é mais fácil.