Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional
A primeira cobertura do site ao Parque Lago do Nado foi realizada pela Flávia em 2013, com a pequena Ciça e os priminhos. Flávia passou uma parte da sua infância passeando pela Lagoa do Nado e ficou feliz em saber que o Parque foi preservado e está muito melhor.

Recentemente, foi nossa vez (Miriam e Sara) de curtir esse espaço incrível que fica no no bairro Itapoã, na região da Pampulha, e ocupa uma área em torno de 311 mil metros quadrados. Sara e a amiguinha Betina se encantaram com a lagoa natural de 22 mil metros quadrados, cercada por um bosque, permitindo às crianças curtirem as visitas de pica-paus, corujas, micos e esquilos, além dos patos e gansos que passeiam por lá.

Para os moradores de outras regiões, o Parque ainda não é conhecido, estando fora do circuito turístico tradicional, infelizmente.

Assim como na primeira cobertura, encontramos pela área peças feitas de madeira em homenagem à nação indígena dos Botocudos, que habitaram o espaço no passado. O Parque já foi passagem para tropeiros que seguiam pelo leito do Córrego do Nado. No século XX, o espaço pertencia à família Giannetti. Com a urbanização, na década de 60, a prefeitura tentou lotear o território, mas uma mobilização popular impediu. A ONG Associação Cultural Ecológica Lagoa do Nado trabalha em prol da preservação da biodiversidade e segurança do parque.

Atualmente, a Lagoa do Nado e é um verdadeiro centro de lazer, sendo possível passar o dia inteiro para desfrutar de tudo o que se tem disponível: biblioteca, teatro de arena, sala de vídeo, quadras de peteca e poli-esportivas, campos de futebol society e oficial, pista de cooper, trilhas. Há ainda lanchonete e vestiário.

Novidades na cobertura
Parquinho
Nessa cobertura, encontramos um novo brinquedo no parquinho – escorregador para crianças menores. Na realidade, também foram instalados, em 2014, um balanço triplo e um zanga-bola (gangorra), brinquedos da arquiteta Suzana Cadaval, que já existem em outros parques da cidade. Infelizmente, o zanga-bola já não está lá e dos balanços, só sobrou a estrutura.  Tão triste ver a prefeitura investindo no lazer das famílias e a própria população jogando fora aquilo que a gente mesmo pagou para ter. Até quando, gente?

Os brinquedos de madeira permanecem, mas o balanço de cavalinho também já não se encontra mais lá.

Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional
Também visitamos internamente o Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional, que se mostrou um lindo museu, ótima opção para incrementar o passeio. O Centro de Referência foi criado para ser o espaço de debate em torno da cultura popular e tradicional, afim de identificar, registrar e lançar luz sobre as mais diferentes práticas culturais de Belo Horizonte, tão ricas em cores, sons, cheiros, sabores e sentidos, mas, por vezes, ainda desconhecidas de muitos belo-horizontinos.

Pista de Skate
Outra novidade que conhecemos de perto é a imensa pista de skate Bowl, implantada em 2014. A estrutura, de concreto armado, inclui uma plataforma retangular com obstáculos e três bowls (uma pista em formato de piscina, onde os skatistas concentram velocidade aliada às manobras). Em toda sua extensão, há cercamento com alambrado, importante para a segurança das crianças que passeiam pelo parque.

O casarão do Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional
Encontramos no Casarão um lindo museu
Um museu que traz, inclusive, reflexões sobre o papel da mulher na sociedade ao longo dos anos
O novo brinquedo – escorregador da arquiteta Suzana Cadaval

 

Tem mini-escalada no escorrega também

 

Cadê o balanço que estava aqui? Infelizmente, só sobrou a estrutura
Os brinquedos de madeira permanecem
Upa!
A imensa pista Bowl inaugurada em 2014

 

As tartarugas encantam a meninada

 

Micos passeiam pelos bosques
Patos, marrecos e gansos convivem com os visitantes tranquilamente
Quadras poli-esportivas

 

Área para brincar é o que não falta
Biblioteca infantil no Parque – a gente ama <3
Apresentações no teatro de Arena
Homenagem indígena

O que tem de bom por lá?
:: Uma variedade de opções de lazer para todas as idades
:: Muito verde e espaço para a criançada brincar
:: As oficinas educativas
:: Biblioteca infantil com ótimos títulos
:: O Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional

O que precisa melhorar:
:: A conservação dos brinquedos – novas unidades foram instaladas e já foram depredadas, infelizmente
:: A área dos brinquedos tem pouquíssima sombra
:: Mais bancos e espaços de contemplação

O Parque realiza várias atividades voltadas para educação ambiental, cultural e esporte, que você pode conferir aqui.

 

Vamos passear e brincar?
Quer conhecer?

Exibir mapa ampliado

#repost
1ª publicação: janeiro de 2013