Foto: Shutterstock

Essa semana, as crianças iniciam um novo ano letivo. E se para a maioria dos adultos tudo aquilo que é novo gera ansiedade, com as crianças não é diferente. Algumas crianças têm mais dificuldade para lidar com as novidades que ocorrem no início de um ano letivo. E por isso seus pais e a escola devem ficar mais atentos e propiciar todo tipo de ajuda possível.

Para aqueles pais que já identificaram essa dificuldade em seus filhos, sugiro que conversem muito, sobretudo sobre o que eles estão sentindo. E tentem acolher, na medida do possível, seus medos e ansiedades. Mostrem que a maioria das coisas novas é boa. Se possível, já fale das novidades com antecedência: nome da professora, colegas de turma ou de colégio. Tudo isso ajudará a diminuir os anseios.

Mas há aquelas crianças que apresentaram esse comportamento pela primeira vez. Se é o caso do seu filho, procure saber o que aconteceu. Pode ser que ela tenha criado uma expectativa X e a realidade foi Y, ou pode estar com saudade da professora e dos colegas do ano passado.  Cabeça de criança é tão complexa quanto a nossa, então, faça de tudo para entender o que está ocorrendo para minimizar o sofrimento e as consequências negativas de uma experiência ruim.

Isso não quer dizer que a criança não possa sofrer, afinal, faz parte da vida e saber lidar com o sofrimento é extremamente importante. Mas ensinar que não se deve sofrer por tudo também é essencial para a saúde de qualquer um.

Não importa se a criança vai iniciar o ano na mesma escola ou em uma diferente, ela iniciará um novo ciclo e, como tudo que é novo na vida, exige um período de adaptação. E nesse tempo, podem
surgir várias reações como, por exemplo, raiva, euforia, falta ou excesso de apetite e sono, tristeza, ansiedade, medos, choros etc. E essas reações devem ser acolhidas e respeitadas.

Se forem atitudes positivas, ótimo, incentive-a a continuar empolgada com a novidade, mas já sabendo que tudo que é novidade hoje, amanhã já não será. E que muitas vezes, quando a novidade vira rotina, ela passa a ser chata e pode causar as reações negativas.

Se as reações iniciais forem negativas, fique mais atento para perceber se são apenas reações frente ao novo (para depois que ele se tornar rotina, tudo ficar bem) ou se tem algo a mais acontecendo. Se as reações persistirem por um período longo, deve-se entrar em contato com a escola para a mesma lhes ajudar.

E lembre-se, nós, adultos, também criamos mil expectativas sobre o novo ano escolar de nossos filhos, mas não podemos deixar que as nossas ansiedades atrapalhem esse período de adaptação e novidades. Desejo a todas as famílias um excelente ano letivo com muito aprendizado.