Por Laura Rangel, nutricionista

É muito comum, quando a criança começa a recusar alguns alimentos saudáveis (vegetais por exemplo), os pais “esconderem” esses alimentos na alimentação em formato de bolinhos, molho da carne etc.

É válido?

Pode ser válido, desde que o alimento recusado continue a ser oferecido juntamente com a alimentação da família. Do contrário, se ele for retirado, a chance de ser aceito a longo prazo se perde.

O enriquecimento da alimentação com legumes escondidos deve ter como objetivo a melhora nutricional. Exemplos: beterraba no feijão, cenoura ralada ou couve batida nos molhos, água de legumes no arroz, suco com frutas e folhas, bolo com farinhas integrais e frutas. Ou seja, um acréscimo na oferta de vitaminas, minerais e fibras.

Sendo assim, diante da recusa da criança, seja persistente e continue a oferecer e colocar no pratinho e à vista os alimentos recusados. Lembrando que essa ação só funciona se a família der o exemplo e consumir também todos os alimentos oferecidos.