Foto: favim.com
Tenho lido muito a frase “não quero flor, quero respeito” no Dia Internacional da Mulher. Mensagem recebida, compreendida e extremamente importante para um processo de luta que vem se fortalecendo, mas que ainda tem muito, mas muito mesmo a conquistar.

Ainda assim, no que pese todo o questionamento referente à data, gostaria de dar flor e respeito, sem que um precise excluir o outro.

Gostaria de dar beijo e reconhecimento, de dar abraço e gratidão, de dizer eu te amo e afirmar que contem comigo nessa luta. Porque se a data representa a luta pela igualdade, pode representar também a beleza das diferenças.

E se estou errado, se sou inocente, tolo, machista ou mesmo ofensivo em minhas intenções, peço desculpas e reconheço a falha.

Ainda continuo tendo muito a aprender com as mulheres.